Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do complexo Smad2/3-YAP como fator quimioresistente em meduloblastoma SHH TP53 mutante

Processo: 17/06511-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Luiz Gonzaga Tone
Beneficiário:Gustavo Alencastro Veiga Cruzeiro
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/20341-0 - Interação entre alvos terapêuticos emergentes e vias de desenvolvimento associadas à tumorigênese: ênfase em neoplasias da criança e do adolescente, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/20635-4 - Novas estratégias e alvos terapêuticos explorando o microambiente tumoral através de modelos in vivo de meduloblastoma subgrupo SHH e group 3, BE.EP.PD
Assunto(s):Meduloblastoma   Genética   Neoplasias   Câncer infantil

Resumo

O meduloblastoma é o tumor maligno do sistema nervoso central com maior prevalência em pacientes pediátricos e a principal causa da morbidade e mortalidade na oncologia pediátrica. Estudos recentes identificaram 4 subgrupos moleculares de meduloblastoma com base no perfil transcricional, mutacional, citogenético e epidemiológico, estes grupos são: WNT, SHH, Grupo 3 e Grupo 4. O subgrupo molecular SHH que possui o TP53 mutante apresenta resistência ao Vismodegib ( inibidor de SMO) prognóstico ruim e pouco está descrito os mecanismos moleculares envolvidos neste fenótipo agressivo. A via de sinalização TGF-B e Hippo estão aberrantemente ativadas em diversos tipos de tumores e podem exercer "cross-talks" com outras vias moleculares contribuindo para a resistência a quimioterápicos e baixa taxa de sobrevida. O complexo Smad2/3-YAP foi recentemente descrito e é considerado efetor final e "nó"molecular entre a via TGF-B e Hippo, ocasionando amplificação de diversos fatores de transcrição como o GLI-2, proteína pertencente a via Sonic Hedgehog e envolvida na resistência primária do meduloblastoma TP53 mutante ao inibidor Vismodegib. Este projeto visa desenvolver modelos duplo Knockout de Smad2/3 e YAP com o uso da tecnologia de edição gênica CRISPR/Cas9 em linhagens de MB TP53 mutantes e selvagens. Após avaliar a expressão de GLI2, as células serão tratadas com o Vismodegib e será avaliada a proliferação, apoptose e invasão. A segunda etapa do projeto consiste no inóculo ortotópico destas linhagens Duplo KO em camundongo e tratamento com o mesmo inibidor. A expectativa é que a conclusão desse projeto esclarecerá aspectos da regulação da resistência do meduloblastoma SHH TP53 ao inibidor Vismodegib, e que essas informações poderão ser utilizadas para o aprimoramento do prognóstico e tratamento da doença.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.