Busca avançada
Ano de início
Entree

Memórias de dor em Buenos Aires: dos centros clandestinos de detencion a lugares de memória e consciência

Processo: 16/22676-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Renato Cymbalista
Beneficiário:Rebeca Lopes Cabral
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/05790-3 - Memórias de dor em Buenos Aires: de ex Centros Clandestinos de Detención Tortura y Exterminio (ex-CCDTyE) a lugares de memória e consciência, BE.EP.MS
Assunto(s):Ditadura   Buenos Aires

Resumo

O presente projeto pretende olhar para as formas de representação da memória da última e mais violenta ditadura militar argentina, entre 1976-1983 . Toma-se como recorte da investigação a Red Federal de Sítios de Memoria na Argentina, com o foco em cinco dos ex Centros Clandestinos de Detención (Ex-CCD) de Buenos Aires, hoje lugares de memória, que a compõe. A partir do objeto de pesquisa busca-se problematizar os paradoxos, conflitos (Di Cori, 2005) e diálogos que envolvem a transformação de lugares da barbárie (que foram esses lugares no passado) em lugares de memória e consciência. Tendo em perspectiva as relações transnacionais que se estabelecem em um mundo globalizado (Huyssen, 2014), a problemática da investigação desenrola-se numa análise das possibilidades éticas, estéticas e políticas de representação da violência (Diéguez, 2013) na cidade contemporânea. Além disso, parte-se da definição culturalista de cidade: a cidade entendida como fruto da mão de obra coletiva, construída pelo movimento constante de sobreposições e desconstruções, em parte desaparece e em parte permanece com o passar do tempo (Gorelik, 2009). Nesse sentido, entende-se que para realizar o estudo, se faz necessário estabelecer uma relação dialética entre as formas de representação lá presentes e os processos históricos e sociais de disputas que participaram da construção.