Busca avançada
Ano de início
Entree

A construção do México pós-nacional: intelectuais, NAFTA e a questão da identidade nacional (1988-2000)

Processo: 17/10748-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 16 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História da América
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:José Alves de Freitas Neto
Beneficiário:José Antonio Ferreira da Silva Júnior
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/06155-0 - A construção do México pós-nacional: intelectuais, NAFTA e a questão da identidade nacional (1988-2000), BE.EP.DR
Assunto(s):Identidade nacional   México   Intelectuais   História do México

Resumo

Em 2000, o PRI (Partido Revolucionário Institucional) perdia a primeira eleição presidencial no México desde 1929. A ascensão do PAN (Partido da Ação Nacional) nesta eleição quebrou longas décadas de uma continuidade política que era associada nos últimos anos com autoritarismo, atraso econômico e um obstáculo à democracia no país. No entanto, a derrota do PRI em 2000 deve ser analisada sob a luz das transformações econômicas, políticas, sociais e culturais que tiveram lugar no México desde os anos 1980, pelo menos. Os intelectuais mexicanos, literatos ou acadêmicos, nos permitem uma abordagem diferenciada deste cenário político nacional já que se utilizaram de seus inúmeros locais de enunciação para se posicionarem, analisarem e comentarem as transformações postas em marcha. Nosso objetivo aqui é propor uma pesquisa que dê conta de investigar como os variados discursos produzidos e circulados no período foram centrais para uma construção discursiva em torno da identidade nacional como um projeto de modernização política e aproximação de um modelo neoliberal. As discussões em torno do NAFTA (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio, traduzindo do inglês), assinado em 1994, encabeçam uma produção e circulação de noções, ideias e concepções em revistas culturais que servem de espaço de atuação política de intelectuais mexicanos. Baseando-nos em uma metodologia da história política e intelectual, o estudo propõe-se a mapear práticas intelectuais em torno ao discurso político bem como refletir sobre o papel destes sujeitos históricos na política nacional mexicana do período. (AU)