Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da altura do rebordo mandibular nos movimentos mandibulares em usuários de próteses totais convencionais novas

Processo: 17/05950-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:Ana Carolina Pero Vizoto
Beneficiário:Thais de Sousa Santana
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Prótese total   Mandíbula   Mastigação

Resumo

O período de adaptação funcional com as próteses totais novas, pode estar relacionado com uma série de problemas transitórios, e este período está diretamente relacionado com o sucesso ou falha do tratamento. Próteses totais inferiores normalmente são apontadas como maior fonte de desconforto entre os usuários, dificultando a sua adaptação. Uma hipótese para essa dificuldade de adaptação está relacionada com uma menor área chapeável mandibular e também ao processo de reabsorção do rebordo alveolar pós extração ou perda dentária, que ocorre com maior intensidade na mandíbula. Objetivo: avaliar a influência da altura do rebordo mandibular no padrão de movimentos mandibulares dos pacientes em diferentes estágios após a instalação de próteses totais convencionais novas. Metodologia: Sessenta indivíduos desdentados totais (G1, n=30, rebordos mandibulares normais; G2, n=30, rebordos mandibulares reabsorvidos) receberão novas próteses totais convencionais. O padrão do movimento mandibular será realizado por meio cinesiográfico. Essa avaliação será conduzida em momentos distintos: 24 horas (Leitura 1), 30 dias (Leitura 2), três meses (Leitura 3) e seis meses após a instalação das próteses totais convencionais (Leitura 4). Os dados serão tabulados e submetidos a testes estatísticos adequados, de acordo com a aderência à normalidade. A análise estatística será realizada por meio do programa SPSS for Windows (versão 19.0; SPSS Inc.), com nível de significância de 5%. (AU)