Busca avançada
Ano de início
Entree

Dependência circadiana na produção de intermediários envolvidos na biossíntese da luciferina fúngica

Processo: 17/10683-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biofísica - Radiologia e Fotobiologia
Pesquisador responsável:Cassius Vinicius Stevani
Beneficiário:Bianca de Barros Nóbrega
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Bioluminescência   Ritmo circadiano   Luciferases   Biossíntese

Resumo

Fungos bioluminescentes emitem luz conforme ritmo circadiano, sendo o máximo de emissão a noite, de forma que poupem energia durante o dia. Resultados obtidos com estudos ecológicos indicam fortemente que a emissão de luz teria a função de atrair artrópodes, para dispersão de esporos. A emissão de luz ocorre através da reação da luciferina (3-hidróxihispidina) com a luciferase, gerando um endoperóxido como intermediário de alta energia, cuja decomposição resulta na oxiluciferina e emissão de luz. A oxiluciferina, cafeilpiruvato, é reciclada à ácido cafeico por uma hidrolase. Tanto ritmo, como função e mecanismo de emissão de luz foram descritos pelo nosso grupo. Com os resultados obtidos anteriormente será possível agora estudar como o ritmo circadiano afeta a expressão e atividade das enzimas envolvidas, bem como a biossíntese dos intermediários da luciferina fúngica, ou seja, ácidos p-cumárico e cafeico, bisnoriangonina, hispidina e oxiluciferina. Este projeto tem a finalidade de investigar mais a fundo se a biossíntese dos intermediários da luciferina fúngica e a reciclagem da oxiluciferina seguem também um ritmo circadiano. (AU)