Busca avançada
Ano de início
Entree

Uma representação alegórica nos jardins espirituais de Frutas do Brasil: uma visão sobre o novo mundo

Processo: 17/12989-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Amilcar Torrão Filho
Beneficiário:Rebeca Capozzi
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Sociais. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Colonização   Império Português   História cultural

Resumo

Esta pesquisa busca analisar a obra Frutas do Brasil numa nova, e ascética monarquia Consagrada a Nossa Senhora do Rosário, de Frei António do Rosário, publicada em 1702. A obra é dividida em três parábolas nas quais Rosário alegoriza a natureza brasileira para compará-la com o Império Português, mais especificamente com a corte portuguesa e suas virtudes. Sendo assim, sua obra é configurada dentro do barroco luso-brasileiro, e reproduz uma visão edênica sobre o Brasil. Nesta obra o autor busca representar a transição do eixo político do Império Português da Índia para o Brasil, corroborando, assim, para a instauração de uma nova monarquia no território. Mediante a problemática de entender como e porque Frei António do Rosário produz essa obra representando tal transição e alegorizando a natureza brasileira, temos como objetivo a compreensão desta transição, bem como a tentativa de entender como essa obra se localiza perante a historiografia das Academias Reais Ibéricas do início do século XVIII. Para embasar teoricamente a pesquisa, os conceitos trabalhados serão de representação de Roger Chartier e lugar-social de Michel de Certeau e Antigo Regime Católico de João Luís Ribeiro Fragoso. (AU)