Busca avançada
Ano de início
Entree

Dimensões da cor e faces da política no Segundo Reinado: um estudo a partir da trajetória do Visconde de Jequitinhonha

Processo: 17/11799-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 17 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Ricardo Figueiredo Pirola
Beneficiário:Sebastião Eugenio Ribeiro de Castro Junior
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/21979-5 - Entre a escravidão e o fardo da liberdade: os trabalhadores e as formas de exploração do trabalho em perspectiva histórica, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):18/16124-4 - Dilemas atlânticos: as ressonâncias da Guerra Civil Americana no pensamento e na prática política do Visconde de Jequitinhonha, BE.EP.DR
Assunto(s):Cor   Mobilidade social

Resumo

Velho conhecido dos estudiosos do Oitocentos brasileiro, Francisco Gê Acaiaba Montezuma, Visconde de Jequitinhonha (1794-1870), constitui personagem ainda pouquíssimo explorado pela historiografia. Homem livre e "de cor", como à época se costumava dizer, ele transitou com grande fôlego por entre os mundos da política e das letras. Nos tempos do Império, fez fortuna. E se destacou no interior de espaços tradicionalmente ocupados por sujeitos, muitas vezes, se não socialmente qualificados como "brancos", que ao menos pareciam se querer reconhecidos como tais.Carregando consigo uma forte aposta no biográfico, este projeto se propõe a perseguir os passos do Visconde para destrinchar e discutir, por meio deles, alguns dos diferentes mecanismos, possibilidades e limites de inserção e de mobilidade social que balizavam a construção de identidades, relações e hierarquias no Brasil do século XIX.Articulando-se ao Projeto Temático desenvolvido no âmbito do CECULT/ UNICAMP, intitulado "ENTRE A ESCRAVIDÃO E O FARDO DA LIBERDADE..." (2013/21979-5), esta pesquisa visa reunir os elementos necessários à sustentação de uma hipótese: a de que a lenta corrosão do regime escravista veio a estimular um progressivo enrijecimento de fronteiras sociais delineadas a partir de atributos como a cor e a origem. Um processo que pretendo avaliar, especialmente, a partir das diferentes formas de apropriação do argumento racial na cena pública da época. (AU)