Busca avançada
Ano de início
Entree

Alomorfia em prefixos possessivos da língua aweti

Processo: 16/26011-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Indaiá de Santana Bassani
Beneficiário:Gustavo Guilherme da Silva
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Assunto(s):Morfologia (linguística)   Análise morfológica   Línguas indígenas

Resumo

Neste trabalho serão estudados fenômenos de alternância na realização dos morfemas prefixais possessivos da língua aweti (Tupi), mais precisamente, serão observadas alomorfias e seus condicionamentos. A análise será amparada pelo modelo teórico da Morfologia Distribuída (Halle e Marantz, 1993), um modelo de arquitetura da gramática que pretende explicar unificadamente a formação de palavras e sentenças. Tal análise pretende explicitar os processos subjacentes na formação dos prefixos. O arcabouço teórico foi escolhido por prover boas ferramentas de análise a partir de pontos específicos da teoria, como por exemplo, as interfaces entre a morfologia, a sintaxe e a semântica e, consequentemente, os condicionamentos alomórficos. A metodologia do estudo será dividida em três partes: o levantamento bibliográfico de ocorrências dos prefixos de posse; a análise dos fenômenos morfofonológicos presentes nos dados, e o tratamento dos fenômenos de acordo com o modelo teórico da Morfologia Distribuída. Ao fim da pesquisa, espera-se um maior entendimento sobre a língua e o fenômeno da alomorfia, contribuindo para os estudos da linguagem em geral. (AU)