Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação do TGF-beta na polarização de leucócitos na anemia falciforme

Processo: 17/14594-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Nicola Amanda Conran Zorzetto
Beneficiário:Lidiane de Souza Torres
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/00984-3 - Doenças dos glóbulos vermelhos: fisiopatologia e novas abordagens terapêuticas, AP.TEM
Assunto(s):Hemoglobinopatias   Fator de crescimento transformador beta   Hematologia   Macrófagos   Neutrófilos

Resumo

A anemia falciforme (AF) é uma anemia hemolítica causada pela herança da hemoglobina S (Hb S) em homozigose. Na sua fisiopatologia, a inflamação é componente fundamental, podendo ocorrer de forma aguda e crônica. De modo geral, a quantidade de leucócitos e de citocinas pró-inflamatórias estão elevados na doença e associados à gravidade clínica apresentada pelos pacientes. Nesse contexto, o fator transformante do crescimento beta (TGF-beta) é uma citocina fundamental na homeostase imune e vascular, e sua principal via de atuação ocorre de maneira dependente de proteínas intracelulares transdutoras de sinal (SMADs). Estudos mostram que o TGF-beta contribui para a resolução de condições inflamatórias, principalmente devido à polarização de neutrófilos (N1 para N2) e macrófagos (M1 para M2), e que sua atividade pode ser estimulada pelo dimetilsulfóxido (DMSO), que tem a capacidade de aumentar a disponibilidade de receptores na membrana das células. Assim, o objetivo do estudo é avaliar os efeitos anti-inflamatórios do TGF-beta1 na AF e verificar se essa ação pode ser favorecida pelo estímulo de sua via de sinalização canônica, com DMSO. Para isso, neutrófilos e macrófagos de pacientes com AF serão isolados e submetidos a diferentes tratamentos com TGF-beta e DMSO, para posterior avaliação da sua ativação, polarização, produção de citocinas e propriedades adesivas. Os tratamentos mais eficazes serão reproduzidos in vivo, utilizando-se camundongos transgênicos Berkeley, um modelo animal para AF. Os efeitos do TGF-beta e DMSO na produção de citocinas, bem como no recrutamento de leucócitos na microcirculação e nos processos vaso-oclusivos, serão avaliados. Os resultados obtidos contribuirão para elucidar a participação do TGF-beta e sua via de sinalização na AF, bem como sugerir novas estratégias de tratamento para conter a exacerbação da resposta inflamatória na doença.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CONRAN, NICOLA; TORRES, LIDIANE. cGMP modulation therapeutics for sickle cell disease. Experimental Biology and Medicine, v. 244, n. 2, p. 132-146, FEB 2019. Citações Web of Science: 1.
TORRES, LIDIANE; CONRAN, NICOLA. Emerging pharmacotherapeutic approaches for the management of sickle cell disease. EXPERT OPINION ON PHARMACOTHERAPY, v. 20, n. 2, p. 173-186, JAN 22 2019. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.