Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação entre a simetria de força máxima e a simetria da variabilidade de força dos músculos flexores plantares com o controle da postura de idosas

Processo: 17/05174-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Matheus Machado Gomes
Beneficiário:Nilson Ribeiro dos Santos Silva
Instituição-sede: Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Controle postural   Biomecânica   Assimetria   Idosos

Resumo

O significativo aumento do número de indivíduos idosos em nossa sociedade acarreta preocupações relacionadas à qualidade de vida e a saúde desta população. Nessa idade, a diminuição no controle postural aumenta a probabilidade de ocorrência de quedas, que se manifestam uma vez ao ano em 30% dos idosos. Estudos prévios evidenciam que a variabilidade de força dos músculos flexores plantares e a simetria de força máxima dos membros interiores estão associadas com o controle da postura e com a ocorrência de quedas, respectivamente. Entretanto, ainda não se sabe se a simetria na variabilidade de força dos membros inferiores também seria um fator relacionado ao controle da postura. O objetivo do presente estudo é analisar a relação entre a simetria na variabilidade de força e a variabilidade de oscilação corporal em mulheres idosas. Os dados referentes ao controle da postura serão coletados com uma plataforma de força. Cada voluntária permanecerá 30 segundos em pé sobre esta plataforma para aquisição dos dados referentes ao deslocamento do centro de pressão nas direções anteroposterior e médio-lateral. Para mensurar a variabilidade de força será utilizado um equipamento com uma célula de carga acoplada, construído especificamente para esta finalidade. As idosas voluntárias permanecerão sentadas neste equipamento com o quadril a 90°, joelhos a 30° de flexão, tornozelos a 90° e pés paralelos, sendo então solicitadas a manter o movimento isométrico de flexão plantar a 5 e 10% da força máxima. Nossa hipótese, é que exista relação entre a variabilidade de oscilação do centro de pressão e a simetria de variabilidade de força dos músculos flexores plantares. De forma geral, o estudo busca fornecer um melhor entendimento dos mecanismos que regem o sistema de controle postural, possibilitando criar melhores intervenções a fim de diminuir a incidência de quedas em idosos. (AU)