Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização de três novos bacteriófagos de Pseudomonas aeruginosa

Processo: 17/12645-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Aline Maria da Silva
Beneficiário:Joice Cassimiro da Silva
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/50870-6 - Estudos da diversidade microbiana no Parque Zoológico do Estado de São Paulo, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Bacteriófagos   Compostagem   Pseudomonas aeruginosa   Biofilmes   Caudovirales   Farmacorresistência bacteriana

Resumo

Bacteriófagos ou fagos são vírus que infectam bactérias e vastamente abundantes na natureza. Desde sua descoberta, no início do século 20, os fagos têm sido ferramentas valiosas no desenvolvimento da biologia molecular e da biotecnologia. Os fagos também foram sempre considerados como agentes antimicrobianos potenciais, sendo que o interesse no uso de fagos como agentes terapêuticos ressurgiu nos últimos anos, principalmente, como alternativa para o controle biológico de bactérias multirresistentes a antibióticos. Em trabalho anterior de nosso grupo de pesquisa [Amgarten, Martins et al. (2017) BMC Genomics 18: ARTN346], foi realizada a caracterização genômica e morfológica de três novos fagos (ZC01, ZC03 e ZC08) isolados da compostagem termofílica do Parque Zoológico de São Paulo utilizando-se Pseudomonas aeruginosa PA14 como hospedeira. Dentre 30 linhagens bacterianas avaliadas, os três fagos foram altamente eficientes na lise apenas de P. aeruginosa PA14 e H6044 (um isolado de hemocultura humana). O objetivo deste projeto de iniciação científica é ampliar e aprofundar a caracterização dos fagos ZC01, ZC03 e ZC08 visando explorar, em maior detalhe, seu potencial como candidatos a fago-terapia. Esta caracterização adicional inclui testar a infectividade desses fagos contra um número mais abrangente de isolados clínicos e ambientais de P. aeruginosa, avaliar sua eficiência em dissolver biofilmes de PA14 mais maduros (e 5 dias) e verificar a estabilidade desses fagos em diferentes temperaturas e pHs. (AU)