Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel de vesículas extracelulares na terapia fotodinâmica de colangiocarcinoma perihilar

Processo: 17/14630-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 30 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Farmacotecnia
Pesquisador responsável:Antonio Claudio Tedesco
Beneficiário:Leonardo Pereira Franchi
Supervisor no Exterior: Michal Heger
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Amsterdam (UvA), Holanda  
Vinculado à bolsa:14/11870-9 - Sensibilização de linhagens de câncer à terapia fotodinâmica por meio da inibição da proteína APE1, BP.PD
Assunto(s):Fotoquimioterapia   Terapia fotodinâmica   Exossomos

Resumo

A terapia fotodinâmica (PDT) é uma modalidade de tratamento curativo de última linha utilizada para vários tipos de câncer. A PDT pode induzir a formação de vesículas extracelulares (por exemplo, os exossomos) que regulam a resistência e mecanismos de sobrevivência em células tumorais através da sinalização parácrina. Consequentemente, as vesículas extracelulares permitem que as células tumorais sobrevivam à PDT tornando células tumorais não tratadas ou sub-tratadas resistentes à terapia. No entanto, ainda permanece como uma questão em aberto se esses mecanismos ocorrem em colangicarcinoma perihilar (PHCC). O PHCC é uma forma muito letal de câncer do ducto biliar que responde melhor à PDT do que a qualquer outro tratamento. Ainda assim, a resistência à PDT ocorre em PHCC devido à ativação da sinalização de sobrevivência pós-PDT. Por isso, é de extrema importância melhorar a terapia desse tipo de câncer. A hipótese levantada é a de que os exossomos de células de PHCC tratadas com PDT são capazes de transportar sinalizadores de sobrevivência e consequentemente induzem resistência à PDT em células não tratadas. De forma específica, acredita-se que esses processos sejam mediados pelas biomoléculas NRF2, HIF-1, ASK1, HSF1 e NF-ºB. Portanto, o objetivo desse projeto é determinar se os exossomos das células PHCC sujeitas à PDT desencadeiam a sinalização de sobrevivência; se essas estruturas induzem resistência em células tumorais subletalmente afligidas e em células tumorais não tratadas (representativas de células tumorais metastáticas); e elucidar os mecanismos moleculares envolvidos nesse processo. Os resultados fornecerão uma visão sobre a sobrevivência celular de PHCC e das vias de resistência após a PDT, contribuindo para melhorar a eficácia terapêutica.