Busca avançada
Ano de início
Entree

Fabricação de nanoemulsões comestíveis de oleoresina de pimenta Capsicum chinense empregando a técnica de microfluidização

Processo: 17/16903-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 20 de novembro de 2017
Vigência (Término): 19 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Julian Martínez
Beneficiário:Ana Carolina de Aguiar
Supervisor no Exterior: David Julian Mcclements
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Massachusetts, Amherst (UMass Amherst), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/18119-0 - Emulsificação por ultrassom de extratos de pimentas biquinho (Capsicum chinense) obtidos por extração supercrítica como alternativa para o aumento da bioatividade, BP.PD
Assunto(s):Pimenta   Capsicum   Nanoemulsão

Resumo

Recentemente foi relatada a presença de capsinoides em pimenta biquinho (Capsicum chinense), que é uma pimenta doce nativa brasileira. Os capsinoides exibem efeitos fisiológicos equivalentes aos dos capsaicinoides sem, entretanto, expressar a característica de pungência. Atividades biológicas importantes de capsinoides são a capacidade de prevenir tumorigênese em camundongos, induzir apoptose em células tumorais e aumentar o gasto de energético e a temperatura corporal quando ingeridos. Os capsinoides se decompõem facilmente quando expostos a luz e altas temperaturas, além de serem instáveis em solventes polares. Desta forma, apesar de todas as propriedades benéficas dos capsinoides, a sua estabilidade ainda é uma limitação para a sua aplicação nas indústrias farmacêutica e de alimentos. Uma alternativa para aumentar a estabilidade de compostos apolares é a fabricação de nanoemulsões. As nanoemulsões óleo-em-água contêm pequenas gotículas de óleo dispersas em uma fase aquosa contínua, em que uma camada protetora de moléculas do emulsificante envolve cada gotícula de óleo. As nanoemulsões são amplamente estudadas quanto a sua utilização como sistemas de liberação de compostos funcionais apolares devido ao pequeno tamanho e à alta relação superfície-volume das gotículas formadas. A microfluidização, que assim como a emulsificação assistida por ultrassom, é uma técnica que compõe a abordagem de alta energia para a fabricação de nanoemulsões. A microfluidização apresenta vantagens quando comparada à emulsificação assistida por ultrassom, especialmente ao obter emulsões com diâmetro de gotículas menores e distribuição homogênea. Portanto, o principal objetivo deste projeto é usar a técnica de microfluidização para obter nanoemulsões com capacidade de promover estabilidade química e biodisponibilidade de compostos bioativos da oleorresina de pimenta de biquinho. Adicionalmente, será realizado um estudo da estabilidade das nanoemulsões armazenadas em diferentes condições de temperatura (4 °C, 25 °C e 55 °C) durante um período de 14 dias para avaliar a eficiência do processo de microfluidização na obtenção de emulsões estáveis para o sistema proposto. (AU)