Busca avançada
Ano de início
Entree

Eletrocardiografia e alterações eletrolíticas na doença obstrutiva do trato urinário inferior felino

Processo: 17/13685-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Alessandra Melchert
Beneficiário:Marina Araujo Martins Fernandes
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Felidae   Gatos   Coração   Eletrocardiografia   Obstrução uretral   Eletrólise

Resumo

A doença do Trato Urinário Inferior Felino (DTUIF) é de comum ocorrência na clínica de pequenos animais, sendo frequentemente acompanhada de quadro obstrutivo uretral. Quando essa situação clínica ocorre, importantes alterações eletrolíticas estão presentes, em decorrência da interrupção do fluxo urinário. Desequilíbrios relacionados principalmente ao potássio podem gerar alterações do potencial de ação das células miocárdicas, culminando em arritmias cardíacas. Deste modo, o presente estudo terá como objetivo avaliar as alterações eletrolíticas presentes em gatos com DTUIF obstrutiva e verificar a influência dos possíveis desequilíbrios presentes sobre a eletrocardiografia. Serão estudados gatos domésticos, machos, com idade e raças variadas, atendidos no serviço de Clínica Médica de Pequenos Animais da FMVZ, Unesp - Botucatu, apresentando histórico de DTUIF obstrutiva. Serão incluídos apenas os animais que nunca apresentaram a doença anteriormente, ou seja, que estejam cursando com o quadro pela primeira vez. Serão realizados: resenha; questionário com dados dos hábitos alimentares, fonte e fornecimento de água, hábitos de micção, doenças concomitantes e se o animal foi castrado; exame físico completo; coleta de sangue para hemograma, função renal (uréia e creatinina), eletrólitos (sódio, potássio, cloreto, cálcio e magnésio); coleta de urina para urinálise; eletrocardiografia computadorizada; aferição da pressão arterial sistólica (PAS) por método não invasivo (Doppler). Para análise dos dados, será realizada a correlação das alterações eletrolíticas e da função renal (uréia e creatinina) com os dados do eletrocardiograma e PAS, pelo teste de Pearson para dados dentro da normalidade, e pelo teste de Spearman para dados não normais. Será considerado o nível de significância de 5%. (AU)