Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de novas estratégias de diagnóstico sorológico para tipagem da infecção prévia pelo vírus Dengue

Processo: 17/09661-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luis Carlos de Souza Ferreira
Beneficiário:Samuel Santos Pereira
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Testes imunológicos   Sorotipagem   Técnicas e procedimentos diagnósticos

Resumo

O vírus Dengue (DENV) pertence à família Flaviviridae, gênero flavivírus, sendo o agente causador da dengue, enfermidade de grande impacto na saúde pública mundial. São conhecidos quatro sorotipos de DENV (1, 2, 3 e 4) capazes de infectar humanos, sendo grande parte das manifestações clínicas semelhantes entre os sorotipos, o que dificulta a diferenciação entre eles tendo por base somente exames clínicos. Além disso, a cocirculação com os vírus Zika e da Febre Amarela, que possuem parentesco evolutivo e semelhança antigênica com o DENV, constitui uma dificuldade no estabelecimento de ensaios de sorodiagnóstico específico para o vírus Dengue. A diferenciação sorológica entre os quatro sorotipos do DENV ainda permanece desafiadora, sendo essencial na determinação da epidemiologia desta infecção e no manejo dos pacientes infectados. Assim, o objetivo deste projeto é desenvolver e caracterizar estratégias de diagnóstico sorológico específico para o vírus da dengue, baseadas em fragmentos da proteína não estrutural 1 (NS1) de cada sorotipo do DENV, que sejam capazes de diferenciar sorologicamente entre a infecção prévia pelos quatro sorotipos do vírus. Para atingir este objetivo, fragmentos das proteínas NS1 recombinantes (referentes aos aminoácidos 250-352 de cada sorotipo do vírus DENV) serão expressas em sistemas procariotos e posteriormente purificadas por cromatografia de afinidade. Os antígenos produzidos serão avaliados quanto ao potencial para aplicação em ensaios sorológico na plataforma de ELISA, identificando, principalmente, a especificidade e a preservação da antigenicidade dos mesmos. As diferenças estruturais entre as variantes da NS1250-352 dos vírus Dengue serão avaliadas em ensaio de dicroísmo circular. Por fim, os antígenos purificados serão empregados em padronizações de ensaios de ELISA, com a finalidade de estabelecer estratégias capazes de sorotipar a infecção prévia pelos diferentes sorotipos de DENV. (AU)