Busca avançada
Ano de início
Entree

Retrato de artista no ateliê: a representação de pintores e escultores pelos pincéis de seus contemporâneos no Brasil (1878-1919)

Processo: 16/26221-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Artes - Fundamentos e Crítica das Artes
Pesquisador responsável:Elaine Cristina Dias
Beneficiário:Natália Cristina de Aquino Gomes
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/05802-1 - Retrato de artista: a representação de pintores e escultores em Portugal e os possíveis diálogos com o Brasil, BE.EP.MS
Assunto(s):Arte brasileira   História da arte   Século XIX

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo o estudo de retratos de artistas no ateliê, de pintores e escultores atuantes ao longo do século XIX e início do século XX no Brasil, realizados por seus contemporâneos. Nestes retratos, os artistas são representados por seus pares em ateliês, elegantemente posando ou individualmente em meio ao ofício e também coletivamente, ao lado de outros artistas ou amigos. Buscaremos entender de que maneira a modalidade do retrato de artista no ateliê denota a importância e afirmação de sua figura como pintor ou escultor, além da legitimação de sua posição social enquanto artista, por meio do reconhecimento de seu ofício. Levaremos em consideração os modelos visuais e gêneros internacionais e os estudos atuais sobre a temática do ateliê e também a questão do autorretrato, sobretudo, como ponto de análise e comparação entre as obras, identificando ainda as diferenças e semelhanças na imagem feita por si próprio e por outro artista. Recuperaremos a discussão bibliográfica sobre o tema e a crítica de arte do período em jornais ou revistas da época. Verificaremos se os mesmos foram expostos nas Exposições Gerais de Belas Artes ou em mostras individuais e investigaremos as possíveis relações entre estes retratos e a fotografia, visto que muitos artistas eram partidários da técnica de captura de imagens na produção de suas obras e alguns destes foram registrados em seus ateliês por meio da técnica. Além disso, também nos dedicaremos a analisar as condições socioculturais dos ateliês retratados, a fim de compreendermos e ampliarmos as questões artísticas existentes no período, as relações sociais mantidas entre os artistas (retratado e retratista) e a instituição acadêmica, assim como seus locais de trabalho no Rio de Janeiro. Esperamos, assim, trazer contribuições para o estudo da arte brasileira ao abordarmos um tema pouco trabalhado em pesquisas acadêmicas nacionais, sobretudo, quando se trata do retrato de artista no ateliê produzido por seu contemporâneo.