Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle do Estilo de Resposta na Avaliação da Satisfação de Vida

Processo: 17/13144-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Fundamentos e Medidas da Psicologia
Pesquisador responsável:Cristian Zanon
Beneficiário:João Paulo Araújo Lessa
Instituição-sede: Universidade São Francisco (USF). Campus Campinas. Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/05741-4 - Avaliação da independência local e uso de vinhetas-âncora na escala de satisfação de vida, AP.JP
Assunto(s):Psicometria

Resumo

Controle do Estilo de Resposta na Avaliação da Satisfação de VidaEstilo de resposta constitui um fenômeno antigo descrito na literatura (Lentz, 1938). Enquanto alguns tendem a endossar itens, outros tendem a discordar; outros ainda respondem escalas Likert usando, predominantemente, os extremos ou pontos centrais (He, Bartram, Inceoglu, & Van de Vijver, 2014). Todas estas formas de responder aos itens introduzem erro de medida na avaliação do construto de interesse e reduzem sua confiabilidade e validade (Johanson & Osborn, 2004). A situação não é diferente com a escala de satisfação de vida que é composta por itens positivos que apresentam considerável conteúdo de desejabilidade social. Uma vez que a adequada avaliação da satisfação de vida é essencial para o entendimento do construto e também por suas implicações em intervenções de políticas públicas, a existência de métodos que permitam refinar sua avaliação constituem importantes contribuições para a psicometria e bem-estar subjetivo. Nenhum estudo localizado investigou a relevância do estilo de resposta na avaliação de satisfação de vida. Por isto, este projeto propõe a criação de um procedimento para controle do estilo de resposta à Escala de Satisfação de Vida (ESV). Este método consiste em subtrair os escores de cada item da Escala de Insatisfação de Vida (proposta no trabalho de iniciação científica) dos itens da Escala de Satisfação de Vida. A média destas diferenças no total de itens poderia ser considerada um índice de coerência nas respostas. Por exemplo, se alguém marca 7 (concordo totalmente) em um item da ESV que diz "Se eu pudesse viver minha vida de novo, eu não mudaria quase nada", mas marca 7 (concordo totalmente) no item, a ser criado da Escala de Insatisfação de Vida, que diz "Se eu pudesse viver minha vida de novo, eu mudaria muitas coisas", é possível perceber total incoerência nas respostas. Este grau de incoerência poderia ser considerado um indicador de estilo de resposta. Assim, poderíamos subtrair o valor do índice de incoerência de cada participante pela média do grupo e dividir esta diferença pelo desvio-padrão do índice de incoerência do grupo. Isto resultaria em escores padronizados de satisfação de vida controlando estilo de resposta. Procedimento semelhante foi usado em Soto et al., (2008) para controlar estilo de resposta em um teste de personalidade (Big Five Inventory). A utilidade deste procedimento poderia ser testada comparando correlações de satisfação de vida, com e sem controle de estilo de resposta, com variáveis que a literatura indica como associadas, por exemplo: personalidade e saúde. Se o estilo de resposta constitui um fator relevante no processo de resposta a itens de satisfação de vida, é esperado que o controle destes estilos reduza o erro de medida referente a este fator e, com isso, aumentem a confiabilidade do teste e, consequentemente, com as variáveis relacionadas (e.g., personalidade, saúde, entre outros).MétodoParticipantes serão 300 adultos (maiores de 18 anos) que responderão a Escala de Satisfação de Vida, Escala de Insatisfação de Vida, Big Five Inventory e o Questionário de Saúde Geral de Goldberg. Os participantes responderão as escalas on line e serão convidados através de divulgação da pesquisa em redes sociais.Análise de dadosInicialmente, serão produzidas estatísticas descritivas e estatísticas de fidedignidade de todas as escalas. Posteriormente, serão calculados os escores de satisfação de vida com e sem controle de aquiescência. Por fim, serão realizadas correlações dos escores de satisfação de vida com e sem controle de aquiescência com os fatores de personalidade e saúde. Testes de diferença de correlação (z de Fisher) serão utilizados para avaliar se as correlações com e sem controle de estilo de resposta diferem significativamente.