Busca avançada
Ano de início
Entree

Sinalização purinérgica na região do núcleo retrotrapezóide: contribuição para o controle respiratório no modelo de epilepsia do lobo temporal

Processo: 17/08696-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Thiago dos Santos Moreira
Beneficiário:Milene Rodrigues Malheiros Lima
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/23376-1 - Núcleo retrotrapezóide, quimiossensibilidade central e automaticidade respiratória, AP.TEM
Assunto(s):Epilepsia   Fenômenos fisiológicos respiratórios   Quimiorreflexo

Resumo

A respiração e a quimiorrecepção central são reguladas pelo núcleo retrotrapezóide (RTN), o qual é constituído por um grupo de neurônios glutamatérgicos que expressam o fator de transcrição Phox2b e são ativados pelo aumento dos níveis de CO2/H+. Sabe-se que o fluxo sanguíneo cerebral é sensível a mudanças de CO2/H+, de modo que aumentos no CO2/H+ causam vasodilatação. Entretanto, um trabalho recente do nosso grupo demonstrou que a regulação do tônus vascular dependente de CO2/H+ na região do RTN é oposta a observada em outras regiões do cérebro. Nesta região, a vasoconstrição induzida pelo aumento do CO2/H+ é modulada por receptores purinérgicos e contribui funcionalmente para a resposta ventilatória ao CO2/H+. A epilepsia do lobo temporal causa disfunções respiratórias, como apneia central e atenuação da sensibilidade ao CO2/H+, sendo, em alguns modelos, correlacionadas com a redução no número de neurônios phox2b do RTN. Na epilepsia, o papel dos astrócitos, uma importante fonte de ATP na região do RTN, só foi investigado em regiões nas quais as crises epiléticas são geradas, como o hipocampo e amígdala. Uma vez que, (a) os vasos sanguíneos do RTN apresentam uma regulação diferenciada que contribui para quimiossensibilidade e controle respiratório, (b) a sinalização purinérgica no RTN contribui para regulação do tônus vascular e controle respiratório, (c) as células da glia contribuem para sinalização purinérgica no RTN, e (d) a epilepsia do lobo temporal desencadeia disfunções respiratórias e alterações na quimiossensibilidade central, o objetivo do presente projeto será investigar o papel da sinalização purinérgica, proveniente de neurônios e células da glia da região do RTN, no controle do tônus vascular da região do RTN e no controle respiratório em um modelo de epilepsia do lobo temporal.