Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da atividade hidrolítica e acidogênica na biotransformação anaeróbia de micropoluentes orgânicos

Processo: 17/13066-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Sanitária - Tratamentos de Águas de Abastecimento e Residuárias
Pesquisador responsável:Marcelo Zaiat
Beneficiário:Rodrigo Braz Carneiro
Supervisor no Exterior: Juan Manuel Lema
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidade de Santiago de Compostela, Santiago (USC), Espanha  
Vinculado à bolsa:15/04427-4 - Avaliação do desempenho de biorreatores anaeróbios de leito fixo ordenado e empacotado para remoção dos antibióticos sulfametoxazol e ciprofloxacina, BP.DR
Assunto(s):Tratamento de águas residuárias   Atividade enzimática   Reatores anaeróbios

Resumo

O tratamento de águas residuárias domésticas por via anaeróbia é utilizado em todo o mundo e apresenta grande aplicabilidade nos países de clima quente, como no caso do Brasil. A digestão anaeróbia tem mostrado potencial para biodegradação de vários micropoluentes emergentes. Entretanto, os mecanismos e fatores intervenientes envolvidos na biotransformação desses compostos, que são essenciais para elucidar os possíveis produtos de transformação e para promover sua remoção completa no sistema biológico por meio de estratégias operacionais ainda não estão esclarecidos. Há indícios de que as enzimas presentes em cada etapa da digestão anaeróbia (hidrólise, acidogênese, acetogênese e metanogênese), pode influenciar na remoção dos micropoluentes orgânicos, dependendo de sua estrutura química. Dessa forma, esse projeto pretende investigar os mecanismos envolvidos na biodegradação de vários micropoluentes pertencentes a variadas classes, tais como: fragrâncias, anti-inflamatórios, antibióticos, neurodrogas e desenruptores endócrinos, que estão presentes nas águas residuárias domésticas. Mais especificamente, o estudo prevê a influência da etapa fermentativa sobre a remoção dos compostos de interesse. (AU)