Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da detoxificação de associações de lodos de ETE e ETA pelo bioensaio de Allium cepa

Processo: 17/13031-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marin Morales
Beneficiário:Tamara Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Genotoxicidade   Biorremediação   Lodo   Lodo de esgoto   Resíduos sólidos   Estações de tratamento de água

Resumo

As Estações de Tratamento de Água (ETA) e as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) usam metodologias que visam minimizar impactos dos resíduos sobre os corpos d'água e garantir a qualidade da água a ser disponibilizada para a população. Contudo, os processos de tratamentos geram resíduos, denominados de lodo de tratamentos. O lodo de esgoto (LE) apresenta características favoráveis para ser reutilizado na agricultura, como fertilizantes ou recondicionantes de solos desgastados, por apresentar grandes quantidades de matéria orgânica. Porém, o uso desse resíduo sem tratamento prévio adequado pode causar impactos negativos no ambiente, por conter substâncias nocivas, como metais e compostos orgânicos potencialmente tóxicos. A biorremediação é um processo usado em tratamento de resíduos, que utiliza microrganismos capazes de decompor poluentes. Este estudo tem como objetivo avaliar a eficácia da detoxificação dos lodos de ETE (LE) e ETA (LA) biorremediados por 6 meses, por meio do ensaio com Allium cepa. Serão avaliados neste estudo os potenciais citotóxicos, genotóxicos e mutagênicos de amostras de LEs puros (ETA e ETE) e de associação entre LEs (ETA + ETE) e de LE com solo, antes e após o processo de biorremediação. Com este trabalho pretende-se encontrar uma alternativa mais sustentável para o LA, que é mais recalcitrante, associando-o a um material mais orgânico (LE), para melhorar as suas condições de biodegradabilidade. (AU)