Busca avançada
Ano de início
Entree

Isolamento de micro-organismos (algas e bactérias) tolerantes a altas concentrações de CO2 e CH4

Processo: 17/17449-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Processos Industriais de Engenharia Química
Convênio/Acordo: BG E&P Brasil (Grupo Shell)
Pesquisador responsável:Reinaldo Giudici
Beneficiário:Bruna Bacaro Borrego
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50279-4 - Brasil Research Centre for Gas Innovation, AP.PCPE
Assunto(s):Bactérias   Algas   Metano   Dióxido de carbono   Gás natural   Gases do efeito estufa

Resumo

O gás natural é quimicamente definido como uma mistura de hidrocarbonetos parafínicos leves que, à temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso. É um gás inodoro e incolor, não é tóxico e é mais leve que o ar. A composição do gás natural pode variar bastante, mas o gás metano (CH4) é o principal componente (80 a 95%), apresentando também teores de dióxido de carbono (CO2). Uma das maiores fontes de produção de gás natural ocorre no processo de extração de petróleo, onde grandes volumes de gás natural são liberados. No entanto, a liberação dos gases (CH4 e CO2, principalmente) é considerada um dos maiores responsáveis pelo aquecimento global e mudanças climáticas, embora os usos acentuados de combustíveis fósseis e mudanças no uso do solo também estejam entre as principais causas. Diante deste cenário, surge a necessidade de mitigação do gás natural. Neste sentido, há alguns estudos focando o sequestro microbiano de CO2 e CH4. Para isso, um consórcio microbiano envolvendo algas e bactérias pode ser utilizado, a fim de mitigar a liberação destes gases para a atmosfera, uma vez que eles são considerados importantes para o aumento do efeito estufa. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.