Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise das lesões oculares em cães com Leishmaniose Visceral

Processo: 17/12971-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Rosemeri de Oliveira Vasconcelos
Beneficiário:Alan Pontes Polverini
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Cães   Olho   Citocinas   Leishmaniose visceral   Histopatologia animal   Imuno-histoquímica

Resumo

A Leishmaniose Visceral (LV) é causada pelo protozoário Leishmania infantum chagasi, que tem o cão como principal reservatório do parasito e que é fonte de infecção para o homem. No cão, vários órgãos foram descritos com lesão relacionada aos efeitos imunopatológicos da infecção crônica induzida por este protozoário. Escassos estudos descrevem as lesões oculares em cães com LV, porém nestes destaca-se a câmara anterior do olho com as principais alterações clínicas e patológicas. O olho é um dos sítios de privilégio imune, onde a imunotolerância é essencial para a sobrevivência das células que não regeneram. Por este fato, o microambiente da câmara anterior do olho é rico em fatores solúveis, proteínas de membrana celular e células com perfil imunossupressor, dentre elas destaca-se a enzima idoleamine dioxigenase (IDO). Portanto, o objetivo deste estudo será analisar a intensidade e distribuição das lesões oculares em cães com LV e imunomarcar a enzima IDO associada a estas lesões. Estes resultados serão comparados com a carga parasitária no tecido ocular, por meio de imuno-histoquímica. Portanto, pretende-se utilizar 25 cães naturalmente infectados, de área endêmica para LV e cinco cães de área não endêmica. Ambos os globos oculares de cada cão serão submetidos às análises histopatológica e imunohistoquímica. A carga parasitária (soro hiperimune de cão soropositivo) e a presença de Ido (Biorbyt, código orb18370) serão determinadas pelo Complexo de Polímeros ligados a Peroxidase. Espera-se que estes resultados possam contribuir com a compreensão da complexa patogenia da LV canina, com enfoque no compartimento ocular. (AU)