Busca avançada
Ano de início
Entree

Efetividade do Manejo de Contingências no tratamento da dependência de crack para usuários vivendo na região da Cracolândia. ensaio clínico randomizado controlado com crossover

Processo: 17/05371-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Jair de Jesus Mari
Beneficiário:André de Queiroz Constantino Miguel
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/22004-9 - Capacitação internacional via BEPE/FAPESP no projeto avaliação da efetividade do Manejo de Contingências no tratamento da dependência de crack para usuários vivendo na região da Cracolândia: ensaio clínico randomizado controlado com crossover, BE.EP.PD
Assunto(s):Transtornos relacionados ao uso de substâncias

Resumo

A dependência de crack é hoje um grave problema de saúde publica no Brasil. Usuários de crack apresentam maior prevalência de comorbidades psiquiátricas, doenças sexualmente transmissíveis e desemprego. Possuem maiores chances de viver ou ter vivido em situação de rua, possuir histórico de encarceramento e de se envolver em atividades ilegais. Um tratamento amplamente estudado chamado Manejo de Contingências (MC) apresenta hoje os melhores resultados nos quesitos redução de consumo, promoção de abstinência continuada, participação e adesão ao tratamento. O primeiro estudo envolvendo essa técnica conduzido no Brasil observou melhora significativa em todos esses desfechos apontando para eficácia do MC no tratamento da dependência de crack em uma população brasileira. O objetivo desse estudo é avaliar a efetividade do MC no tratamento da dependência de crack para indivíduos vivendo na região da cracolândia. Para tal a equipe dos serviços Cratod e Helvetia serão treinadas e capacitadas em MC. Esses mesmos profissionais (população real) serão os responsáveis por aplicar o MC durante toda pesquisa. O estudo será um ensaio clínico randomizado controlado com crossover composto por 200 sujeitos com diagnóstico atual de dependência de crack. Após 12 semanas de intervenção o grupo controle (tratamento padrão sozinho) passará a receber 12 semanas de tratamento experimental (tratamento padrão + MC) e, por esse mesmo tempo, o grupo experimental o tratamento padrão. Nossa hipótese é de que os sujeitos terão melhor desempenho em todos os desfechos estudados no período em que receberem o tratamento experimental.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CONSTANTINO MIGUEL, ANDRE DE QUEIROZ; MADRUGA, CLARICE SANDI; SIMOES, VIVIANE; YAMAUCHI, RODOLFO; DA SILVA, CLAUDIO JERONIMO; MCDONELL, MICHAEL; MCPHERSON, STERLING; ROLL, JOHN; LARANJEIRA, RONALDO RAMOS; MARI, JAIR DE JESUS. Contingency management is effective in promoting abstinence and retention in treatment among crack cocaine users with a previous history of poor treatment response: a crossover trial. PSICOLOGIA-REFLEXAO E CRITICA, v. 32, JUL 15 2019. Citações Web of Science: 0.
MIGUEL, ANDRE Q. C.; MADRUGA, CLARICE S.; SIMOES, VIVIANE; YAMAUCHI, RODOLFO; DA SILVA, CLAUDIO J.; ABDALLA, RENATA R.; MCDONELL, MICHAEL; MCPHERSON, STERLING; ROLL, JOHN M.; MARI, JAIR J.; LARANJEIRA, RONALDO R. Crack cocaine users views regarding treatment with contingency management in Brazil. SUBSTANCE ABUSE TREATMENT PREVENTION AND POLICY, v. 13, FEB 12 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.