Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle corporativo no setor automotivo: proprietários, acionistas e o domínio dos recursos financeiros

Processo: 17/11338-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 02 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 01 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Administração - Administração de Empresas
Pesquisador responsável:Mário Sacomano Neto
Beneficiário:Mário Sacomano Neto
Anfitrião: Neil Fligstein
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Berkeley (UC Berkeley), Estados Unidos  
Assunto(s):Financeirização   Indústria automobilística   Redes sociais

Resumo

O controle corporativo das empresas constitui um tema central para compreensão da dinâmica do capitalismo contemporâneo. O controle corporativo compreende a composição da distribuição de poder entre os diferentes atores (proprietários e acionistas) do contexto intra e interorganizacional. Uma questão central desta perspectiva de controle é como a composição da distribuição de poder afeta o comportamento estratégico das corporações (FLIGSTEIN, 1992, FLIGSTEIN, 2001). Estudos recentes sugerem que o controle corporativo das empresas automotivas está crescentemente associado aos bancos e atores do sistema financeiros, representando um significativo aumento da "financeirização" e do papel dos bancos e atores financeiros na dinâmica das empresas (BORGHI, SARTI e CINTRA, 2013; FLIGSTEIN, 2001). Neste sentido, este projeto objetiva analisar a composição do controle corporativo das maiores empresas automotivas, sob orientação de Neil Fligstein do Departamento de Sociologia da Universidade da Califórnia, Berkeley. Neil Fligstein, autor de "The transformation of corporate control", "The architeture of markets" e "Field Theory", é um dos sociólogos americanos mais tenazes e críticos sobre a constituição do mercado, da economia e do controle corporativo das grandes empresas americanas. Para realizar a pesquisa o projeto também objetiva: 1) analisar a composição acionária das empresas (acionistas institucionais, acionistas de fundos mútuos e conselhos corporativos); 2) analisar a composição estrutural e relacional dos atores detentores do controle corporativo das empresas (proprietários e acionistas); 3) comparar a composição do controle corporativo de empresas de diferentes contextos institucionais (envolvendo empresas americanas, europeias e orientais); 4) analisar o grau de dependência das organizações das atividades financeiras e sua influencia no comportamento estratégico e ainda 5) avaliar os possíveis impactos desta composição do controle corporativo nas subsidiárias automotivas brasileiras. O estudo adota como quadro analítico o conceito de "campo" e uma perspectiva político-cultural para estudo do controle corporativo, conforme proposto por Fligstein (1992) Fligstein (2001) e Fligstein e McAdam (2012). Do ponto de vista metodológico, a pesquisa é de caráter exploratório e explanatório. Envolve dados qualitativos, quantitativos e estudos de casos. Os dados sobre a composição corporativa das empresas serão coletados em múltiplas fontes, como: Nasdaq, NYSE, Compustat, PricceCoopers, Automotive News. Também serão coletados dados em entidades de classe e associações de veículos, como: OICA (International Organization of Motors Vehicle Manufactures), ACEA (European Automobile Manufacturers' Association), JAMA (Japan Automobile Manufacturers Association), NAATA (North American Automobile Trade Association), Dados serão também coletados nos sites oficiais das empresas através de balanços, relatórios, documentos das empresas (e grupos). Também serão coletados dados com agentes do sistema financeiro e do setor automotivo por meio de entrevistas, diários de campo e análise das trajetórias. A triangulação dos métodos quali e quantitativos contribui para o delineamento da validade e confiabilidade do estudo. Para análise dos dados será utilizada a análise exploratória de dados, a análise de conteúdo e a análise de redes sociais (ARS). Serão utilizados os softwares UCINET e GEPHI para análise das redes. Este projeto é parte de um projeto mais amplo sobre a "análise do campo automotivo mundial". Futuramente esta etapa irá subsidiar uma Análise de Correspondência Múltipla (ACM) e ou análise de regressão para o mapeamento do campo, incluindo outros recursos como patentes, relações comerciais e tecnológicas, domínios de mercados e variáveis de controle como faturamento, lucratividade, etc.