Busca avançada
Ano de início
Entree

Yes, nós temos Coca-Cola: práticas e sociabilidades dos Estados Unidos na alimentação do Recife (1930-1950)

Processo: 17/09652-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de março de 2018
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História
Pesquisador responsável:Henrique Soares Carneiro
Beneficiário:Frederico de Oliveira Toscano
Supervisor no Exterior: Richard Allen Gordon
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa: University of Georgia (UGA), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:15/02436-6 - Yes, nós temos Coca-Cola: práticas e sociabilidades dos Estados Unidos na alimentação do Recife (1930-1950), BP.DR
Assunto(s):Hábitos alimentares   Alimentação   Intercâmbio cultural   Cultura (sociologia)   Estados Unidos   Recife (PE)

Resumo

O projeto "Yes, temos Coca-Cola: sociabilidades e práticas dos Estados Unidos nos hábitos alimentares do Recife (1930-1950)" investiga, através de uma perspectiva histórica, as sociabilidades e práticas construídas em torno da presença norte-americana na alimentação, preparações e serviços entre os anos 1930 e 1950, analisando essa presença na capital de Pernambuco durante o período proposto, procurando compreender sua influência nas práticas e sociabilidades locais de alimentação. Estas podem ser encontradaa em restaurantes, cantinas, bares, hotéis, pousadas, clubes sociais e similares, que ofereciam comida, seja em preparações, ingredientes ou serviços, com influências norte-americanas. O projeto busca historizar a americanização de hábitos alimentares e costumes na vida pública e privada da sociedade no Recife dentro do corte proposto, procurando sua presença em jornais, propagandas, almanaques, livros de ficção, receitas, manuais de etiqueta e outras formas de literatura. A construção dessa narrativa pode se beneficiar de um período de estudos nos Estados Unidos, com pesquisa, investigação da literatura, intercâmbio com outros estudiosos, visitas a museus, bibliotecas e outros centros de pesquisa e através do acesso a fontes não encontradas regularmente no Brasil, assim obtendo um estudo muito mais amplo e aprofundado sobre o tema da história da alimentação e intercâmbios culturais. (AU)