Busca avançada
Ano de início
Entree

Trocas bióticas entre biomas da região neotropical: evidências das Bignoniaceae e de outros clados de angiospermas

Processo: 17/12797-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 23 de setembro de 2017
Vigência (Término): 22 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Taxonomia Vegetal
Pesquisador responsável:Lúcia Garcez Lohmann
Beneficiário:Lúcia Garcez Lohmann
Anfitrião: Paul Fine
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of California, Berkeley (UC Berkeley), Estados Unidos  
Vinculado ao auxílio:12/50260-6 - Estruturação e evolução da biota amazônica e seu ambiente: uma abordagem integrativa, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Biota   Flora   Biogeografia   Evolução vegetal   Angiospermas   Bignoniaceae   Região neotropical

Resumo

A distribuição desigual de taxa pelo Globo têm intrigado cientistas por muito tempo. Em particular, a observação de que a região Neotropical é mais diversa que a região Paleotropical levou ecólogos, biólogos evolutivos, sistematas e biogeógrafos a buscarem explicações para este padrão ao longo de centenas de anos. De fato, poucos aspectos têm intrigado tanto cientistas como a origem e evolução da biota Neotropical. Hipóteses como "berçário" ou "Museu" podem nos ajudar a entender os padrões de diversificação na região Neotropical. Estas hipóteses podem ser explicitamente testadas através de filogenias calibradas de linhagens individuais. Estes tipos de estudos requerem conhecimento detalhado da idade de divergência de clados particulares, as quais podem ser obtidas através da datação de filogenias disponíveis. Apesar dos grandes benefícios associados ao uso de filogenias datadas para um melhor entendimento da história biogeográfica de organismos e biotas, esta não é uma tarefa trivial dado que exige um conhecimento muito profundo do registro fóssil. Até hoje, poucos estudos utilizaram um registro fóssil compreensivo para datar filogenias de organismos diferentes. Este projeto visa analisar o extensivo registro fóssil disponível para as Bignoniaceae e utilizar esta informação como base para calibrar a filogenia disponível para este grupo. A filogenia datada derivada deste estudo será relacionada à eventos climáticos passados para testar hipóteses biogeográficas específicas paras as Bignoniaceae, um componente conspícuo da biota Neotropical. Resultados derivados do estudo com as Bignoniaceae serão então combinados com filogenias datadas de diversos outros clados de angiospermas de forma a obter um panorama compreensivo das trocas biónicas entre biomas, especialmente entre a Amazônia e a Mata Atlântica. Este projeto é parte de um projeto mais amplo intitulado "Estruturação e evolução da biota Amazônica e seu ambiente: Uma abordagem integrativa" (FAPESP 2012/50260-6) e do projeto "Integrando disciplinas para a predição da biodiversidade da Floresta Atlântica" (FAPESP 2013/50297-0). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THODE, VERONICA A.; SANMARTIN, ISABEL; LOHMANN, LUCIA G. Contrasting patterns of diversification between Amazonian and Atlantic forest clades of Neotropical lianas (Amphilophium, Bignonieae) inferred from plastid genomic data. Molecular Phylogenetics and Evolution, v. 133, p. 92-106, APR 2019. Citações Web of Science: 0.
ANTONELLI, ALEXANDRE; ARIZA, MARIA; ALBERT, JAMES; ANDERMANN, TOBIAS; AZEVEDO, JOSUE; BACON, CHRISTINE; FAURBY, SOREN; GUEDES, THAIS; HOORN, CARINA; LOHMANN, LUCIA G.; MATOS-MARAVI, PAVEL; RITTER, CAMILA D.; SANMARTIN, ISABEL; SILVESTRO, DANIELE; TEJEDOR, MARCELO; TER STEEGE, HANS; TUOMISTO, HANNA; WERNECK, FERNANDA P.; ZIZKA, ALEXANDER; EDWARDS, V, SCOTT. Conceptual and empirical advances in Neotropical biodiversity research. PeerJ, v. 6, OCT 4 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.