Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do envelhecimento no controle de torque dos músculos flexores e extensores do tronco

Processo: 17/06567-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Daniela Cristina Carvalho de Abreu
Beneficiário:Sállua Berlanga Spilla
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Torque   Acidentes por quedas   Força muscular   Envelhecimento   Fisioterapia

Resumo

O controle de torque (CT) corresponde a capacidade de um indivíduo manter uma contração isométrica submáxima constante a determinado nível de força, é considerado um importante componente que mantém o equilíbrio e o desempenho funcional. Sabe-se que idosos apresentam prejuízo no controle de torque (CT) quando comparados aos jovens. No entanto, existem poucos estudos que se referem aos músculos extensores e flexores do tronco, e à influência do CT destes músculos no controle postural. Dessa forma, o objetivo desse estudo será comparar o controle do torque dos músculos extensores e flexores do tronco entre jovens e idosos com e sem histórico de quedas, o que poderá gerar informações importantes para o entendimento da influência desse grupo muscular no controle postural. Para isso, serão avaliadas pessoas independentes da comunidade que tenham mais de 60 anos. Haverá a mensuração do CT dos músculos extensores e flexores do tronco. Os participantes realizarão as avaliações em dois dias, com intervalo pré determinado de dois a sete dias entre eles. No primeiro dia, serão coletados os dados antropométricos para caracterização da amostra, e será realizada a avaliação do histórico de quedas por meio de questionário semi-estruturado. Ainda no primeiro dia, haverá a familiarização do indivíduo no dinamômetro isocinético (Biodex, System 4 Pro, Nova York, EUA) para avaliação dos músculos do tronco. Já no segundo dia de coletas de dados, será realizado o teste no dinamômetro isocinético para obtenção do controle de torque dos extensores e flexores de tronco, com o equipamento sincronizado ao módulo de eletromiografia (EMG System, Brasil) obtendo uma frequência de amostragem de 2000 Hz, para registro dos dados de CT que serão considerados na pesquisa. Todas as análises estatísticas serão realizadas utilizando o programa GraphPadPrism versão 5.0 para Windows (GraphPad Software, San Diego, Califórnia, USA) e será adotado nível de significância de 5% (p 0,05). Os resultados serão expressos como média e desvio padrão da média. (AU)