Busca avançada
Ano de início
Entree

Estrutura computacional, caderno de anotações eletrônico e construção da base de dados

Processo: 17/17575-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:Paulo Arruda
Beneficiário:Lucas Martins Ferreira
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50897-0 - INCT 2014: Centro de Química Medicinal de Acesso Aberto, AP.TEM
Assunto(s):Bases de dados   Mineração de dados   Biologia computacional

Resumo

Nosso projeto INCT irá gerar uma larga quantidade de dados incluindo os critérios para a escolha de proteínas alvo para informações biológicas, mas também de caracterização experimental e integração de dados. O projeto INCT irá utilizar um caderno de anotações eletrônico denominado Scarab, onde todas as informações cientificas são inseridas diariamente e compartilhadas entre todos os pesquisadores envolvidos. Este profissional precisará de experiência em manipulação de bases de dados, além de migração através de diferentes bases de dados. É também esperado conhecimento na área de bioinformática, relacionados com a evolução de famílias proteicas especificas. Uma vez que nos necessitaremos realizar a anotação de estruturas de genes para as proteínas a serem estudadas. Na gestão do projeto computacional o objetivo é a organização da informação, compartilhamento entre os grupos de pesquisadores, ajudar a manter o web site. No âmbito cientifico é esperado que seja realizado o mapeamento de sistemas biológicos para as proteínas de interesse. A questão inicial focará em um conjunto de cinco proteínas neurais requerendo o desenvolvimento de soluções criativas de mineração de dados. Isto integrará dados de mutações, transcriptoma, interactoma e atividades proteicas. O trabalho irá requerer pesquisador independente com nível de doutorado devido à complexidade do projeto. O TT5 também irá treinar cientistas juniores. (AU)