Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito preventivo e terapêutico do anti-IL-17 em modelo experimental de lesão pulmonar induzida pela elastase em camundongos C57BI6

Processo: 17/15495-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de agosto de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Iolanda de Fátima Lopes Calvo Tibério
Beneficiário:Aurelio Canabrava Garrido
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Enfisema   Doença pulmonar obstrutiva crônica   Lesão pulmonar   Inflamação   Pneumologia   Modelos animais de doenças

Resumo

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é uma enfermidade respiratória passível de prevenção e tratamento. As partículas geradas pelo fumo do tabaco são as fontes mais frequentes de estabelecimento da doença, pela resposta inflamatória produzida pelo tecido pulmonar contra essas partículas. As estratégias de manejo importantes atualmente são a cessação do tabagismo, vacinação, reabilitação e terapia com drogas (fundamentalmente por inalação). Alguns pacientes, no entanto, passam a exigir terapia de longo prazo com oxigênio ou mesmo o transplante de pulmão. É a quarta principal causa de morte nos EUA, e a maior causa de morbidade crônica em idosos, representando um importante desafio da saúde pública. Foi classificada como a sexta maior causa de morte no mundo em 1990 e está projetada para ser a terceira principal em 2020. Evidentemente, pelo alto ônus econômico, devido aos custos dos cuidados de saúde e perda de produtividade, essa doença tem sido bastante estudada, sendo importante a busca de medicamentos e biomarcadores para o diagnóstico precoce. O enfisema, componente da DPOC, é caracterizado como um distúrbio do pulmão no qual ocorre aumento permanente dos espaços aéreos terminais devido à destruição das paredes alveolares. A destruição do tecido pulmonar é decorrente do desequilíbrio entre os sistemas de proteinases, produzidas no processo inflamatório, e antiproteinases. Esse mecanismo de lesão pulmonar pode ser induzido em modelo experimental por administração de elastase intratraqueal em camundongo. A IL-17A, principal citocina produto das células Th17, exerce importante função na regulação da expressão de mediadores inflamatórios e recrutamento de células inflamatórias em várias doenças, como no enfisema. Este estudo tem como objetivo avaliar o efeito da abordagem preventiva e terapêutica da administração do anticorpo monoclonal anti-IL-17 em modelo experimental de lesão pulmonar induzida pela elastase no pulmão de camundongos. Os resultados serão analisados a partir da mecânica pulmonar, do oxido nítrico exalado e da observação microscópica do diâmetro alveolar, da resposta inflamatória macrofágica e, por imuno-histoquímica, de marcadores de inflamação em diferentes grupos de camundongos. Os grupos serão controle (que receberá somente injeção intratraqueal de solução salina), controle elastase (que receberá somente a elastase intratraqueal), preventivo (receberá anti-IL-17 junto com a instilação de elastase) e o grupo tratamento (o anticorpo como tratamento do enfisema após certo período). Espera-se que esse estudo traga resultados significativos sobre o efeito preventivo e terapêutico do uso do anticorpo monoclonal anti-IL-17 na fisiopatologia do enfisema pulmonar e ajude na criação de novas estratégias de abordagem dessa doença tão relevante atualmente. (AU)