Busca avançada
Ano de início
Entree

Seleção hospedeira, preferência de oviposição e desenvolvimento de três espécies de mirídeos em diferentes plantas cultivadas

Processo: 17/18297-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de setembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Convênio/Acordo: CNPq - INCTs
Pesquisador responsável:José Roberto Postali Parra
Beneficiário:Flávio Cardoso Montes
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50871-0 - INCT 2014: Instituto Nacional de Ciência Tecnologia de Semioquímicos na Agricultura, AP.TEM
Assunto(s):Miridae   Heterópteros   Animais predadores   Controle de pragas   Oviposição

Resumo

Heterópteros predadores tem se destacado durante as últimas décadas como importantes inimigos naturais de artrópodes-pragas, o que tem despertado o interesse pelos seus aspectos biológicos e comportamentais. Dentre esses predadores, algumas espécies pertencentes à família Miridae têm se revelado como efetivas e outras com potencial para atuarem como agentes de controle biológico de importantes pragas. No Brasil, mirídeos predadores como Campyloneuropsis infumatus (Carvalho), Engytatus varians (Distant) e Macrolophus basicornis (Stäl) foram encontrados em Nicotiana tabacum (L.). Apresentam distribuição na América Latina e predam diferentes pragas como Myzus persicae (Sulzer), Myzus nicotianae (Blackman), Macrosiphum euphorbiae (Thomas), Manduca sexta (L.), Bactericera cockerelli (`ulc), Bemisia tabaci (Gennadius) e Tuta absoluta (Meyrick) em diversas culturas como fumo, tomate Solanum lycopersicon (L.) e batata-doce Ipomoea batatas (L.), o que caracteriza sua amplitude de ocorrência e presas. Predadores mirídeos são percevejos considerados onívoros ou zoofitófagos. Esta característica envolve o hábito de se alimentar do material de planta, possibilitando sua sobrevivência na planta hospedeira na ausência de presas, para aumentar o fitness do predador quando usado como suplemento alimentar, além de facilitar seu estabelecimento na cultura antes da colonização da praga. Estes predadores possuem oviposição endofítica, ou seja, inserem seus ovos no tecido das plantas, principalmente nos pecíolos e nas nervuras foliares. Várias plantas são mencionadas como substrato de oviposição como berinjela Solanum melongena (L.), tomate, fumo, gerânio Pelargonium peltatum (L.), Kalanchoe blossfeldiana (Poelln) e Sedum rubrotinctum (Clausen), Calendula officinalis (L.) e Capsicum annuum (L.). No entanto, um fator importante na avaliação de substrato de oviposição se relaciona na aceitação por parte da fêmea e ao suporte e estabelecimento para futuras gerações quando estas espécies forem liberadas em campos e em casa de vegetação para controle de pragas. Diante disso, o objetivo deste trabalho será determinar a seleção hospedeira e preferência de oviposição dos mirídeos por diferentes plantas cultivadas, além de determinar o desenvolvimento e sobrevivência da fase jovem em diferentes espécies de plantas na presença e ausência de ovos Anagasta kuehniella (Zeller). (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.