Busca avançada
Ano de início
Entree

Produtividade e o crescimento agrícola no Brasil: impactos ambientais diretos e indiretos

Processo: 17/19812-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 08 de janeiro de 2018
Vigência (Término): 30 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Gilberto Camara Neto
Beneficiário:Michelle Cristina Araujo Picoli
Supervisor no Exterior: Patrick Hostert
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Humboldt University, Alemanha  
Vinculado à bolsa:16/23750-3 - Uso de séries temporais de imagens de sensoriamento remoto para monitoramento da Agricultura brasileira, BP.PD
Assunto(s):Sensoriamento remoto

Resumo

A expansão agrícola no Brasil tem causado impactos ambientais causados pela expansão da produção agrícola e pela pecuária nos biomas Amazônia e Cerrado. A Moratória da Soja foi criada com o intuito de barrar a compra de soja plantada em florestas primárias na Amazônia brasileira, após julho de 2008, e foi renovada a cada ano desde esta data. No entanto, a expansão da produção de culturas agrícolas pode ocorrer em pastagens, causando efeitos indiretos como a expansão de pastagens em outros lugares. Este efeito de deslocamento das pastagens, induzido pela expansão da soja, é chamado de mudanças indiretas do uso da terra (iLUCs). As iLUCs não são facilmente observadas, pois estão associadas a mudanças que ocorrem em regiões distantes e induzidas por uma gama complexa de fatores que agem em conjunto. Este projeto fornece as primeiras estimativas espacialmente explícitas do aumento da produtividade no Brasil, usando um método para explicar a sazonalidade de diferentes tipos de cobertura terrestre (ciclos fenológicos de culturas) aplicados aos dados obtidos a partir de séries temporais de imagens de satélite. Também fornecerá um registro completo de todas as mudanças de terra nos biomas Amazônia e Cerrado, no Brasil, durante o período 2003-2016. Com base neste conjunto de dados, podemos derivar os ganhos na produtividade agrícola com base na combinação de informações detalhadas de sensoriamento remoto com os dados de campo. Além disso, investigaremos os impactos ambientais diretos e indiretos da crescente produtividade agrícola nesses biomas.