Busca avançada
Ano de início
Entree

Michel Foucault e a história: da postura crítica a escrita genealógica (1954-1984)

Processo: 17/15656-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - Teoria e Filosofia da História
Pesquisador responsável:Hélio Rebello Cardoso Júnior
Beneficiário:Tiago Viotto da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Friedrich Nietzsche   Immanuel Kant   Michel Foucault   Crítica (filosofia)   Ontologia (filosofia)   Filósofos   Franceses   Alemães

Resumo

A afinidade de Michel Foucault com a história é reiterada por diversas vezes ao longo de sua trajetória intelectual. Esta relação pode ser compreendida a partir de dois aspectos que, apesar de distintos, se imiscuem: uma reflexão crítica sobre o presente, entendida a partir da noção de Ontologia Histórica, e um método empírico-descritivo de escrita, responsável por edificar seus trabalhos enquanto Ficções Históricas. O objetivo deste trabalho é não somente investigar a composição de cada um desses aspectos como também as relações mútuas estabelecidas entre eles. Sustenta-se, assim, o argumento de que os diálogos estabelecidos por Foucault com o pensamento crítico de Immanuel Kant e com o método genealógico de Friedrich Nietzsche servem como aportes para a invenção de sua própria ideia de história. Para tanto, utilizando como fontes as reflexões em que Foucault salienta sua proximidade com tais autores, a tese se desdobrará em dois movimentos: em primeiro lugar, busca-se perseguir o campo de problemas que cada uma dessas relações permite escandir para, em seguida, a partir dos elementos levantados, evidenciar a correlação existente entre pensar e escrever a história junto ao pensamento de Foucault. Espera-se, com isso, levantar um número de questões que possam, por extensão, trazer uma contribuição razoável para o conhecimento histórico contemporâneo, principalmente junto às discussões teóricas que abrangem o processo de escrita da história e a posição ocupada pelo sujeito junto a tal processo. (AU)