Busca avançada
Ano de início
Entree

IARA: monitoramento da poluição das águas

Processo: 17/16165-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE  
Vigência (Início): 01 de agosto de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Antonio Roberto Pereira Leite de Albuquerque
Beneficiário:Antonio Roberto Pereira Leite de Albuquerque
Empresa:Engine Logística Ltda
Vinculado ao auxílio:16/15518-3 - IARA-Monitoramento da poluição das águas, AP.PIPE
Assunto(s):Mineração de dados   Monitoramento da água   Poluição da água   Sensores   Sonda

Resumo

Soluções inovadoras e acessíveis tanto do ponto de vista tecnológico como financeiro que colaborem na identificação e mitigação da poluição dos rios, lagos, reservatórios e demais corpos de água são cada vez mais necessárias num país como o Brasil onde a crescente expansão demográfica, industrial e agrícola observada nas últimas décadas trouxe como consequência o comprometimento da qualidade da água. Uma extensa pesquisa bibliográfica, realizada nestes últimos 15 anos nas bases do INPI, Fapesp e periódicos nacionais e internacionais da Capes observou que no INPI a solicitação de patente que se aproxima parcialmente deste projeto foi requerida em 2011 e arquivada em 2013 por falta de documentação e baseava-se numa boia fixa com comunicação com a internet. As universidades e institutos de pesquisas empenham-se no desenvolvimento de sistemas informatizados para coleta e tratamento de dados em tempo real utilizando sensores importados além do desenvolvimento de instrumentação de bancada para mensuração de alguns dos indicadores para IQA, mas incapazes de medidas submersas, não foi encontrada, na pesquisa bibliográfica acima citada, nenhum projeto de sondas/sensores submersos genuinamente nacionais, que é o nosso caso. Internacionalmente nota-se um enorme número de pesquisas nesta área nos dois últimos anos (2015 e 2016). Segundo a Lux Research, uma empresa de consultoria estratégica, a indústria internacional de água é inundada com empresas de tecnologia inovadoras que competem para permanecer ativas ressaltando que estas empresas representam um quarto dos startups na indústria indicando que esta grande safra de empresas de análise de água indica uma mudança tardia controle do monitoramento da qualidade das águas. Este projeto tem como objetivos, além de acompanhar o estado da arte internacional, o de propor soluções para os principais desafios tecnológicos para o monitoramento da poluição das águas e apresentar designs de produtos comercialmente interessantes para que o combate à poluição seja uma atividade atrativa tanto para empresas como para empreendimentos sociais brasileiros. Estas soluções serão comprovadas pela realização do estudo de caso de um sistema computacional ubíquo, denominado IARA, que ilustrará o alicerce das várias resoluções que viabilizarão tecnologicamente os designs de produtos propostos e tem como principal característica de inovação a integração do conceito da "internet das coisas" às sondas submersíveis de fabricação nacional. Estas sondas submersíveis, que utilizam sensores importados, possuem algoritmos embutidos de tratamento de dados possibilitarão alcançar a expressiva vantagem competitiva relacionada ao baixo custo, mantendo a confiabilidade das medidas. O IARA por seu design exclusivo, além de solucionar os problemas relacionados ao alto custo de monitoramento torna menos intenso as dificuldades de operação e manutenção. O principal resultado esperado, sem demérito para os demais resultados intermediários, é a sugestão de um conjunto de designs de produtos e uma correspondente solução tecnológica com alta probabilidade de sucesso para monitorização da poluição dos corpos de água.O impacto deste projeto está em encontrar tecnologias e designs de produtos comercialmente interessantes para que o combate à poluição seja uma atividade atrativa tanto para empresas como para empreendimentos sociais. (AU)