Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização anatômica, química e ultraestrutural de espinhos secretores em duas espécies de Cactaceae

Processo: 17/14891-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Morfologia Vegetal
Pesquisador responsável:Tatiane Maria Rodrigues
Beneficiário:Stefany Cristina de Melo Silva
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Nectários extraflorais   Secreção   Estrutura

Resumo

A ocorrência de espinhos secretores, descritos como nectários extraflorais (NEFs), associados às aréolas dos cladódios é um aspecto comum a muitas espécies de Cactaceae. A presença e localização de NEFs têm sido utilizadas como características diagnósticas para espécies da família. Os NEFs em Cactaceae são morfologicamente diversos e podem ser espinhos altamente modificados ou não, folhas escamiformes e regiões epidérmicas e corticais especializadas na base ou ao redor das aréolas. Contudo, muito pouco é conhecido sobre a natureza dos NEFs em cactos e, mesmo, há dúvidas se o exsudato pode ser qualificado como néctar. Estudo preliminar buscando localizar NEFs em cactos mostrou gotas de exsudato hialino e pegajoso recobrindo o ápice de espinhos inseridos na aréola de cladódios jovens de Brasiliopuntia brasiliensis (Willd.) A. Berger. e Nopalea cochenillifera (L.) Salm-Dyckin. Entretanto, o uso de refratômetro e glicofita não permitiu detectar a presença de açúcares redutores na secreção. Desta maneira, este trabalho tem por objetivo caracterizar a morfologia e o funcionamento dos espinhos secretores em B. brasiliensis e N. cochenillifera e a composição química da secreção. Para isso, glândulas em diferentes fases de desenvolvimento serão coletadas e processadas segundo técnicas usuais para estudos anatômicos, histoquímicos e ultraestruturais. Amostras do exsudato serão analisadas por cromatografia de troca aniônica de alta performance (HPAEC/PAD) para identificar carboidratos e por cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC) para identificar açúcares e aminoácidos. Os resultados obtidos serão comparados entre as espécies buscando estabelecer a natureza das glândulas e a composição química da secreção, num contexto funcional.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SILVA, Stefany Cristina de Melo. Caracterização anatômica, química e ultraestrutural de espinhos secretores em duas espécies de Opuntioideae (Cactaceae).. 2019. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências (Campus de Botucatu)..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.