Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da interação de TgMIC1 com receptores do tipo Toll na formação de NETs induzida por Toxoplasma gondii

Processo: 17/16464-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Rafael Ricci de Azevedo
Beneficiário:Giulia Ballestero
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Toxoplasma gondii   Lectinas   Neutrófilos   Receptores toll-like

Resumo

Toxoplasma gondii é um parasito intracelular obrigatório, causador da toxoplasmose. Para infectar a célula hospedeira, formas taquizoitas de T. gondii, dentre outros mecanismos, liberam lectinas localizadas em organelas na região apical do parasito, denominadas micronemas. Dentre essas proteínas, nosso grupo isolou o subcomplexo TgMIC1/MIC4, dotado da propriedade de induzir a produção de IL-12 por macrófagos murinos e, dessa forma, desencadear resposta protetora contra o parasito. Recentemente, mostramos que a secreção de citocinas pró-inflamatórias induzida depende da interação de TgMIC1 e TgMIC4 (formas recombinantes) com receptores do tipo Toll (Toll Like Receptors, TLRs), estabelecida através do domínio de reconhecimento de carboidrato das proteínas de micronemas e de glicanas N-associadas ao exodomínio de TLRs de membrana. A resposta imune inata proporciona diversos mecanismos que permitem que o hospedeiro se contraponha ao desenvolvimento de toxoplasmose, incluindo os relacionados à formação de Neutrophil Extracellular Traps (NETs). NETs correspondem a um tipo de morte celular ativa que ocorre através da extrusão de redes fibrilares extracelulares. As NETs, até pouco tempo, eram conhecidas como induzidas apenas por bactérias; contudo, estudos recentes demonstraram que protozoários, incluindo T. gondii, também são capazes de desencadear a formação de NETs. São pouco conhecidos, entretanto, os mecanismos envolvidos nos processos de formação de NETS. Resultados recentes do nosso grupo indicam claramente que TgMIC1 induz a formação de NETs. Tal achado nos fez supor que proteínas de micronema pudessem ser responsáveis pela formação de NETS induzida por T. gondii. Supusemos ainda que a conhecida interação de TgMIC1 com TLRs respondesse pela formação de NETs por T. gondii. Assim, o objetivo do presente projeto é avaliar se a formação de NETs induzida por T. gondii é dependente da interação de TgMIC1 com TLRs. Para tanto, cepas de T. gondii selvagens ou nocautes (KO) de TgMIC1 serão utilizadas para infectar neutrófilos murinos selvagens, TLR2KO ou TLR4KO. Verificaremos a ocorrência de NETs nos diferentes pares de parasita/neutrófilo, buscando identificar a possível relevância das interações estabelecidas para o desencadeamento da resposta. (AU)