Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da modificação aminoacídica, caracterização estrutural e imunogenicidade dos peptídeos P1-A e P3-A derivados da enolase de s. schenckii para fins vacinais contra a esporotricose

Processo: 17/13228-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 06 de fevereiro de 2018
Vigência (Término): 05 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Iracilda Zeppone Carlos
Beneficiário:Deivys Leandro Portuondo Fuentes
Supervisor no Exterior: Fanny Guzman Quimbayo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Local de pesquisa : Pontificia Universidad Católica de Valparaíso (PUCV), Chile  
Vinculado à bolsa:15/09340-4 - Identificação e síntese de peptídeos da enolase de Sporothrix schenckii como candidatos vacinais na esporotricose, BP.PD
Assunto(s):Sporothrix schenckii   Esporotricose   Peptídeos   Adjuvantes

Resumo

A esporotricose é uma infecção crônica que afeta os seres humanos e outros mamíferos, causada por espécies do gênero Sporothrix. A doença tem uma distribuição mundial, mas é considerada uma zoonose endêmica no Brasil, principalmente no estado do Rio de Janeiro e nas regiões metropolitanas de São Paulo. O tratamento antifúngico contra esta doença é demorado e está associado a efeitos adversos, sendo considerada a vacinação profilática e/ou terapêutica como as alternativas mais promissoras para combater esta micose. Atualmente estamos desenhando um candidato vacinal à base de peptídeos imunogênicos derivados da proteína enolase de S. schenckii. No projeto de Pós-doutorado sendo desenvolvido foram identificados 3 peptídeos (P1-A, P2-A e P3-A) preditos como capazes de se ligarem a linfócitos TCD4+ e B, mas apenas o P2-A mostrou imunogenicidade quando formulado com o adjuvante Pet Gel A. Isto nos levou a acreditar que, provavelmente, tanto o P1-A como o P3-A não adquiriram uma estrutura tridimensional similar à apresentada na proteína nativa (enolase) após a síntese química, limitando dessa maneira sua imunogenicidade in vivo. Diante disso, propomos aumentar a imunogenicidade de P1-A e P3-A por modificação química utilizando a técnica ALA-scan. Os peptídeos serão purificados, caracterizados e analisados estruturalmente por RP-HPLC, cromatografia de massa e dicroísmo circular, respectivamente. Também, sua imunorreatividade será verificada por imunoblotting e a sua imunogenicidade avaliada pelo título de anticorpos IgG antígeno-específicos em camundongos imunizados com a formulação peptídeo/Pet Gel A. Esses resultados, juntamente com aqueles obtidos anteriormente pelo peptídeo P2-A, permitirão obter uma formulação multiantigênica mais eficiente, capaz de induzir anticorpos imunorreativos contra várias regiões da enolase.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.