Busca avançada
Ano de início
Entree

Filogenômica da Ordem Scleractinia (Cnidaria, Anthozoa): relações entre evolução da ordem e mudanças climáticas

Processo: 17/11615-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Marcelo Visentini Kitahara
Beneficiário:Isabela Galvão de Lossio e Seiblitz
Instituição-sede: Instituto de Saúde e Sociedade (ISS). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Baixada Santista. Santos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/01332-0 - Filogenômica da ordem Scleractinia (Cnidaria, Anthozoa): relações entre evolução da ordem e mudanças climáticas, AP.PFPMCG.JP
Bolsa(s) vinculada(s):18/19661-0 - Mitogenomas de corais escleractíneos em Cingapura, BE.EP.MS
Assunto(s):Genoma mitocondrial

Resumo

Os corais escleractíneos são metazoários basais pertencentes ao filo Cnidaria que se encontram ameaçados pelo aumento da temperatura global e pela acidificação dos oceanos. Essas mudanças climáticas estão associadas à morte ou saída de algas endossimbiontes (zooxantelas) dos corais, assim como à dissolução do esqueleto carbonático desses cnidários. A ordem Scleractinia, à qual esses organismos pertencem, não teve ainda sua história evolutiva totalmente resolvida, havendo incertezas quanto à filogenia de suas subordens e, até mesmo, quanto ao seu monofiletismo. Essa dificuldade se deve, principalmente, ao baixo número de táxons usados nas filogenias, em especial espécies de corais azooxantelados. Além disso, o baixo número de marcadores pode também ser uma causa de variação entre as topologias de diferentes filogenias dessa ordem. Dessa forma, o presente projeto tem como objetivo principal recuperar a história evolutiva de Scleractinia com base em genomas mitocondriais. Para isso, serão analisadas por sequenciamento de última geração (NGS) na plataforma HiSeq2500 (Illumina) 50 espécies de corais zooxantelados e 50 de azooxantelados. Nessas filogenias, fatores paleoclimáticos serão mapeados através de calibração por meio de relógio molecular. Essa técnica permitirá identificar o momento no qual certas características surgiram ou desapareceram e auxiliar na elaboração de hipóteses a respeito do futuro desses organismos frente às mudanças climáticas.