Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos responsáveis pela montagem de comunidades aquáticas através da dispersão dependente de condição

Processo: 17/16650-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Teórica
Pesquisador responsável:Tadeu de Siqueira Barros
Beneficiário:Alison Carlos Wunderlich
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Ecologia aquática   Metacomunidades   Ecologia de comunidades

Resumo

A dispersão é um processo determinante dos padrões ecológicos e evolutivos e está intimamente associada a seleção de hábitat. O comportamento de movimento e a dispersão dos indivíduos é um processo dependente de condição e informado, em que os dispersores respondem à qualidade dos habitats e à disponibilidade de recursos no ambiente natal e externo. O uso de informações tais como densidade, substâncias químicas ou condições abióticas são altamente vantajosos durante todos os três estágios da dispersão (emigração, transição e imigração) e podem ser usadas como gatilho para a dispersão. Embora muitos estudos têm mostrado que a dispersão é um processo dependente de condição, os gatilhos responsáveis pela dispersão dos indivíduos entre seu local de nascimento e a seleção de um novo hábitat ainda não são bem compreendidos. Dessa forma, nós pretendemos investigar os gatilhos envolvidos na dinâmica da dispersão e seleção de hábitat usando como modelo um sistema hospedeiro-parasito, focando nas larvas ciliadas livre-natantes (i.e. oncomiracídios) como forma dispersora das espécies de ectoparasitos. Nossa previsão é que a variação na abundância total, riqueza e dissimilaridade das espécies de ectoparasitos entre os hospedeiros parasitados e não parasitados pode ser explicada e estimada por características mensuráveis dos hospedeiros como tamanho, densidade e estado nutricional. Nossas ideias são baseadas na hipótese de heterogeneidade dos hospedeiros, que do ponto de vista do parasito, os indivíduos dentro de uma espécie variam em termos de recursos e riscos que eles oferecem durante a colonização de novos parasitos tanto na forma adulta como larval. Neste caso, a qualidade dos hospedeiros (i.e. análoga a mancha de hábitat para os parasitos) pode ser usada como característica chave na predição da dinâmica da dispersão dos ectoparasitos entre os hospedeiros. Para isso, nós vamos utilizar um sistema tilápia-monogenoidea como nosso modelo experimental para testar a hipótese de que a dispersão de oncomiracídios é dependente de condição e lançar uma nova luz sobre o papel da dispersão na montagem de comunidades aquáticas com forte interação entre espécies. (AU)