Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrões sazonais na oferta de cores de flores e a polinização no cerrado

Processo: 17/15152-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica
Pesquisador responsável:Leonor Patricia Cerdeira Morellato
Beneficiário:Amanda Eburneo Martins
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro, SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/11985-1 - Cor e contraste da flor para os polinizadores em vegetações sazonais de plantas: influência da coloração do segundo plano e da iluminação, BE.EP.MS
Assunto(s):Polinização   Interação planta-animal   Cor   Flores   Sazonalidade   Comunicação visual

Resumo

As Angiospermas possuem alta diversidade e riqueza de espécies, sendo a polinização por vetores bióticos a principal responsável pela reprodução sexuada dessas espécies. Para atrair os visitantes florais, as plantas precisam ajustar suas características morfológicas ao sistema cognitivo dos seus polinizadores. A maioria dos visitantes florais utiliza a visão para o forrageio e a cor das flores é uma importante ferramenta na atração de vetores orientados visualmente. A sazonalidade climática é um fator que pode alterar a diversidade de cores de flores ao longo do ano e a percepção da cor das flores pelos polinizadores devido a alterações na coloração das folhas do segundo plano das folhas nas diferentes estações. Este estudo será conduzido em uma área de cerrado sensu stricto, com vegetação lenhosa arbustivo-arbórea e sujeita a sazonalidade climática, com verão úmido e inverno seco. Pretendemos analisar a diversidade de cores de flores na comunidade e o contraste destas com o segundo plano de folhas, conforme o sistema de visão dos polinizadores, buscando responder: (i) a sazonalidade influencia a diversidade de cores das flores produzidas no cerrado ao longo do tempo? (ii) as cores estão relacionadas aos sistemas de visão de seus polinizadores (iii) as mudanças na coloração do segundo plano de folhas afetam a conspicuidade das flores para os polinizadores? (iv) o padrão sazonal e a diversidade de cores de flores diferem entre a vegetação lenhosa de cerrado sensu stricto e o mosaico de vegetação arbustivo-herbácea de campo rupestre? Para levantar o padrão fenológico das espécies da área de cerrado sensu stricto, selecionamos todos os indivíduos inseridos em 36 transectos de 25x2 m e realizamos observações mensais das fenofases vegetativas e reprodutivas. Coletaremos dados de refletância da cor das flores no intervalo de 300 a 700nm, utilizando um espectrofotômetro, de forma a abranger os diferentes sistemas de visão a cores polinizadores. Esperamos variações na diversidade de cores de flores entre as estações, assim como diferenças na conspicuidade das flores para os polinizadores, devido à variação sazonal na coloração do segundo plano de folhas. Esperamos encontrar diferenças nos padrões de cores das flores das comunidades do cerrado sensu stricto e campo rupestre devido, principalmente, a diferenças na estrutura da vegetação e, consequentemente, na condição de luz das duas áreas. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.