Busca avançada
Ano de início
Entree

A atividade exploratória de bebês em processos de adaptação à creche: estudos de caso no Brasil

Processo: 16/24466-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Pesquisador responsável:Katia de Souza Amorim
Beneficiário:Natália Meireles Santos da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Bebês   Comportamento exploratório   Creches   Brasil

Resumo

A capacidade exploratória do bebê é um importante recurso que o permite estar em contato com o mundo em sua volta, direcionar sua atenção a estímulos específicos, obter informações sobre aquele ambiente e ao longo do tempo ser capaz de modificar sua ação em função dessas informações. Em uma realidade em que a creche tem sido um local cada vez frequente de inserção de bebês, há a necessidade de melhor compreender como o processo exploratório se dá em situação de adaptação a este local. No entanto, os estudos pouco tem olhado a exploração em ambientes naturalísticos, o que leva a possíveis enviesamentos conceituais do processo e perde-se a dinamicidade da matriz sócio-histórica e das transformações, tanto do bebê em relação ao contexto e pessoas, quanto o contrário. Com o objetivo de investigar como se dá o desenvolvimento exploratório do bebê em seu processo de adaptação à creche, este projeto integra proposta multicêntrica de sete países (Brasil, Escócia, Nova Zelândia, Austrália, Samoa, EUA e Finlândia) que busca investigar diferentes aspectos da transição de cuidado de casa para ambientes de cuidado compartilhado. Com base na perspectiva da rede de significações, dois bebês focais (idade 5-8m) de duas creches diferentes serão acompanhados. Os registros serão obtidos a partir de videogravações de duas horas cada realizadas em oito datas diferentes ao longo do ano. O corpus da análise será construída a partir do mapeamento de atividades exploratórias do bebê (olhar, locomover-se e/ou tocar/manipular pessoas/objetos, vocalizar, sorrir) na sua relação com o ambiente e pessoas ali presentes. Com isso, episódios serão submetidos a análise microgenética, buscando-se minúcias indicativas da gênese de transformação do processo exploratório. Ainda, aspectos ontogenéticos e concepções/estratégias político-pedagógicas serão considerados na análise. Esses resultados serão então discutidos em relação a literatura. As potenciais contribuições do trabalho envolvem o preenchimento de lacunas teóricas e empíricas, bem como o subsídio prático para pais e profissionais da creche. Ainda, o projeto internacional permite o paralelo com diferentes culturas e realidades sócio-históricas. (AU)