Busca avançada
Ano de início
Entree

As práticas de promoção da saúde na luta pela terra e pela água: um estudo comparativo entre comunidades camponesas no brasil e na argentina

Processo: 17/07058-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Geografia - Geografia Humana
Pesquisador responsável:Raul Borges Guimarães
Beneficiário:Carolina Russo Simon
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/08455-0 - As práticas de promoção da saúde na luta pela terra e pela água em comunidades camponesas na região de Cuyo - Argentina, BE.EP.MS
Assunto(s):Geografia da saúde   Argentina   Brasil   Promoção da saúde

Resumo

O Brasil e a Argentina partilham entre si muitas semelhanças e diferenças. A principal semelhança pode ser compreendida em função do processo de colonização pelos países europeus e seus desdobramentos em termos de formação territorial. Da mesma forma, observa-se nesses dois países a expansão de empreendimentos de empresas transnacionais, no contexto da globalização. Em resposta a esse processo de dominação, observa-se tanto no Brasil quanto naArgentina experiências de mobilização e lutas de resistência cultural, econômica e social,aproximando movimentos sociais por causas comuns como: moradia, terra, água, saúde etc.Através da aproximação de La Via Campesina pretendemos analisar as semelhanças e diferenças na formação socioespacial dos dois países a partir das práticas de promoção da saúde decomunidades camponesas de Cuyo- Argentina e da Paraíba-Brasil. Assim, os sentidos e asconcepções de saúde das comunidades camponesas serão analisados, visando a compreensão daplenitude da vida no contexto de experiências de luta e resistência. Tal perspectiva resulta na importância da junção de dois campos importantes da Geografia, o agrário e o de saúde, para a construção de novas possibilidades, dentre elas, pretendemos nos apoiar no método comparativo, a partir das leituras da Geografia Crítica e das abordagens da pesquisa qualitativa, especialmente da história oral referente à luta pela saúde.