Busca avançada
Ano de início
Entree

Otimização do processo de terapia celular para lesões cutâneas em pacientes: desenvolvimento de biocurativo e avaliação do potencial terapêutico de queratinócitos, fibroblastos e células mesenquimais em úlceras crônicas e queimaduras graves

Processo: 17/21448-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Carolina Caliári Oliveira
Beneficiário:Mauro Pedromonico Arrym
Empresa:CC Oliveira Eireli - ME
Vinculado ao auxílio:16/16013-2 - Otimização do processo de terapia celular para lesões cutâneas em pacientes: desenvolvimento de biocurativo e avaliação do potencial terapêutico de queratinócitos, fibroblastos e células mesenquimais em úlceras crônicas e queimaduras graves, AP.PIPE
Assunto(s):Biologia celular   Cultura de células   Queratinócitos   Fibroblastos   Terapia baseada em transplante de células e tecidos   Queimaduras   Úlcera cutânea

Resumo

A pele, o maior órgão do corpo humano representa a primeira linha de defesa contra infecções e outros tipos de insultos físicos ou químicos, além disso, desempenha importantes papéis prevenindo a desidratação do organismo e promovendo a termoregulação. Sendo assim, lesões na pele, podem levar a alterações no organismo como um todo. Dentre as lesões de difícil resolução desse tecido, destacam-se as úlceras crônicas e as queimaduras graves. O envelhecimento populacional, bem como o aumento de patologias como obesidade, diabetes e insuficiências venosa e arterial entre outras estão intimamente relacionados ao aumento da incidência de úlceras crônicas na população. Já as queimaduras estão entre os cinco principais causas de acidente no Brasil, sendo atendidos cerca de 2300 pacientes por mês só pelo Sistema Único de Saúde. Ambos os tipos de úlcera requerem longos períodos de tratamento e/ou internação, o que demanda altos gastos por parte dos pacientes e dos sistemas de saúde. Os pacientes tratados com as terapias convencionais sofrem ainda com alto risco de recidivas. Além disso, existe uma gama de pacientes refratários às terapias disponíveis atualmente. Dessa forma, úlceras crônicas e queimaduras estão associadas à dor, desabilidade, afastamentos, infecções e outras complicações que predispõem esses pacientes à altas taxas de mortalidade. Nesse sentido, a terapia celular, pode representar uma alternativa para o tratamento dos pacientes portadores de úlceras crônicas e queimaduras. Assim, o presente projeto visa otimizar o processo da terapia celular através do cultivo de células livre de soro fetal bovino e do desenvolvimento de um biocurativo contendo células, bem como avaliar o potencial terapêutico da utilização de queratinócitos, fibroblastos (Kc+Fb) e células mesenquimais (CM) para o tratamento das úlceras desses pacientes. Para isso, serão incluídos 16 pacientes portadores de úlceras crônicas e 16 pacientes queimados, todos com lesões bilaterais. Destes, 8 pacientes portadores de úlceras crônicas receberão o tratamento com Kc+Fb e 8 receberão o tratamento com CMs, 8 pacientes queimados receberão o tratamento com Kc+Fb e 8 receberão o tratamento com CMs. As lesões serão tratadas com a aplicação tópica de Kc+Fb ou CMs e o comportamento das lesões será comparado ao comportamento de lesões controle (tratadas somente com o veículo) no mesmo paciente. Serão comparados também os dois tipos de tratamento. Além disso, serão avaliadas a porcentagem de cicatrização, melhora da dor e da qualidade de vida dos pacientes, bem como alterações locais e sistêmicas através da dosagem de citocinas e fatores de crescimento no fluido das lesões e no sangue periférico dos pacientes. Este projeto de pesquisa pode embasar a terapia com Kc+Fb ou CMs para o tratamento de úlceras crônicas e queimaduras graves, com isso, a terapia celular pode tornar-se uma alternativa eficaz para o tratamento destas patologias dermatológicas de difícil resolução, melhorando a cicatrização e diminuindo a dor. Não obstante, essa nova modalidade terapêutica pode representar a diminuição do período de tratamento, bem como dos custos empregados para o mesmo. (AU)