Busca avançada
Ano de início
Entree

Bioprocessos e potencial biotecnológico em espécies de Gracilaria (Rhodophyta, Gracilariales): uma abordagem fisiológica e bioquímica

Processo: 17/13259-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Fisiologia Vegetal
Pesquisador responsável:Nair Sumie Yokoya
Beneficiário:Jonatas Martinez Canuto de Souza
Instituição-sede: Instituto de Botânica. Secretaria do Meio Ambiente (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecofisiologia   Bioquímica   Macroalgas   Gracilaria   Agar   Bioprocessos

Resumo

As macroalgas marinhas são fontes de compostos de interesse comercial e biotecnológico e podem ser biofiltradoras, uma vez que utilizam os nutrientes do meio no seu metabolismo. As espécies de Gracilaria Greville são exploradas como matéria prima para a produção de ágar e estudos sobre o seu desenvolvimento são necessários para a produção sustentável de biomassa, de ágar e de novos compostos bioativos. O presente estudo tem como objetivos avaliar os efeitos da disponibilidade de nutrientes (nitrogênio e fósforo) no metabolismo e no potencial biotecnológico de Gracilaria caudata J. Agardh e G. domingensis (Kützing) Sonder ex Dickie. Serão realizados experimentos com adição de nitrato (zero, 50, 125, 250 e 500 µM) e fosfato na razão de 10:1 e 100:1 de N:P. Cada tratamento será testado com três repetições (n=3). Serão analisadas as seguintes variáveis: taxas de crescimento, fotossíntese, morfometria, concentrações de proteínas solúveis totais, carboidratos e de pigmentos (clorofila A, ficoeritrina, ficocianina e aloficocianina), conteúdo de elementos do talo (carbono, hidrogênio, nitogênio e fósforo). Para avaliar o potencial biotecnológico, as características do ágar serão analisadas (rendimento, quantificação dos teores de sulfato e da 3, 6-anidrogalactose) e serão realizados testes de atividade biológica (antioxidante e atividade inibitória da acetilcolinesterase) com extratos produzidos nos biorreatores comparado com material coletado na natureza. (AU)