Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação do comportamento e fisiologia dos anuros em resposta ao estresse térmico e hídrico: uma abordagem para entender a vulnerabilidade dos anuros às mudanças climáticas

Processo: 17/14382-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Fernando Ribeiro Gomes
Beneficiário:Estefany Caroline Guevara Molina
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/04534-3 - Interação de desidratação e tolerância térmica em massas de ovos da perereca de olhos vermelhos Agalychnis callidryas (Anura: Hylidae), BE.EP.MS
Assunto(s):Anura   Vulnerabilidade   Mudança climática   Termotolerância

Resumo

O aquecimento global tem um impacto direto sobre a distribuição e abundância dos organismos, como por exemplo os anuros, um grupo particularmente vulnerável às altas temperaturas devido à sua condição ectotérmica e altas taxas de perda de água corporal. Para entender os efeitos das mudanças climáticas sobre os anuros, é necessário integrar sua tolerância a diferentes condições climáticas estressantes (por exemplo, altas temperaturas e baixa disponibilidade de água), com mecanismos comportamentais que utilizam para lidar com essas condições e entender como diferentes níveis de stress climático determinam o tempo de sobrevivência dos indivíduos. Índices de tolerância térmica têm sido amplamente utilizados para avaliar a tolerância a altas temperaturas em anuros. Estes índices são: Temperatura preferencial (Tp), Temperatura voluntária máxima (TVM) e Temperatura crítica máxima (CTMax, pelas suas siglas em inglês, Critical Temperature Maximum). No entanto, ainda não é bem compreendido como estes índices afetam os anuros quando são expostos a stress térmico e hídrico e quanto tempo estes animais podem resistir condições térmicas e hídricas estressantes. O presente trabalho irá avaliar se os descritores de tolerância térmica e tempo para perda da função locomotora em anuros são afetados negativamente pelo seu nível de hidratação. Para isso, usaremos indivíduos de Rã-touro (Lithobates catesbeianus), uma rã invasora no Brasil e que pode ser facilmente obtida comercialmente. Os indivíduos serão mantidos em terrários individuais e para cada indivíduo medidas dos diferentes índices de tolerância térmica serão realizadas (Tp, TVM, CTMax) em diferentes níveis de hidratação (100%, 90%, 80% em relação ao peso do corpo). Posteriormente, mediremos o tempo de perda da função locomotora de indivíduos expostos ao TVM com diferentes níveis de hidratação (100%, 90%, 80%). Esperamos que nossos resultados permitam compreender como a tolerância térmica e o comportamento termorregulador de anuros são afetados pelo seu nível de hidratação, bem como os tempos de exposição a estresse térmico e hídrico que estes animais podem suportar. Esta informação é necessária para melhorar a aplicação da tolerância térmica em modelos de distribuição potencial de populações de anuros no clima atual e futuro. Nosso estudo é particularmente importante para subsidiar a aplicação da tolerância térmica em modelos de distribuição desta rã invasora, com potenciais efeitos negativos sobre anuros brasileiros.

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MOLINA, Estefany Caroline Guevara. Interação do comportamento e fisiologia dos anuros em resposta ao estresse térmico e hídrico: uma abordagem para entender a vulnerabilidade dos anuros às mudanças climáticas. 2019. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.