Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da restrição proteica perinatal associado ao consumo do açúcar sobre o metabolismo, parâmetros reprodutivos e morfofisiologia prostática na prole de ratos

Processo: 17/14690-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Ketlin Thassiani Colombelli
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/00690-3 - Perfil global de proteínas da próstata ventral de ratos mais velhos submetidos a restrição proteica materna associados com o consumo açúcar pós-natal, BE.EP.DR
Assunto(s):Desenvolvimento fetal   Dieta com restrição de proteínas   Açúcar   Gravidez   Lactação   Próstata   Modelos animais

Resumo

A Restrição Proteica Perinatal (RPP) tem sido associada ao aumento da incidência de doenças cardiovasculares, renais, além de afetar parâmetros reprodutivos e o desenvolvimento de alguns tipos de câncer. Além disso, a exposição destes indivíduos a um segundo insulto na vida pós-natal pode amplificar os danos causados pela RPP aumentando a incidências destas doenças com o envelhecimento. Nosso grupo demonstrou que a RPP impacta o desenvolvimento e aumenta a incidência de lesões prostáticas na prole de ratos velhos. Apesar disto, os mecanismos moleculares que desencadeiam estas alterações ainda são pouco conhecidos. Assim, este projeto possui dois objetivos distintos: 1) avaliar se ratos adultos (90 dias) submetidos à RPP (gestação e lactação) são mais suscetíveis às alterações metabólicas e reprodutivas frente à exposição pós-natal ao consumo de açúcar refinado (forma mais consumida de açúcar) quando comparados a ratos nascidos de gestação normal; 2) investigar se a restrição proteica materna seguida pelo consumo de açúcar aumenta a incidência de alterações metabólicos e de lesões prostáticas em ratos velhos (540 dias). Ratos Sprague Dawley serão divididos nos seguintes grupos experimentais: 1- Controle (CTR): ratos nascidos de mães que consumirão ração normal (17% proteína) e água ad libitum durante a gestação e lactação; 2- Controle+açúcar (CTR+ACU): o mesmo tratamento do CTR e que consumirão solução de açúcar (10% diluído em água) a partir do dia pós-natal (DPN) 21 até o final do experimento; 3- Restrição Proteica Perinatal (RPP): ratos nascidos de mães que consumirão ração hipoproteica (6% de proteina) durante a gestação e lactação e que posteriormente consumirão ração normal e água ad libitum até o final do experimento; 4- Grupo RPP+ACU: ratos nascidos de mães alimentadas com ração hipoproteica durante a gestação e lactação e que consumirão ração normal e solução de açúcar (10% diluído em água) ad libitum a partir do dia pós-natal 21 até o final do experimento. Nos DPNs 90 e 540 os animais serão anestesiados, pesados e eutanasiados. O sangue será coletado para análises hormonais, metabólicas e de estresse oxidativo. No DPN 90, os testículos e epidídimos serão coletados para análises histopatológicas, assim como serão avaliadas a morfologia, número e motilidade espermáticas. A próstata ventral será coletada nas duas idades para a realização de análises histopatológicas, assim como de proteoma por espectrometria de massas (LC-Ms/Ms). A partir deste serão elencados alvos para serem validados por RT-qPCR, imunohistoquímica e western blotting. Assim espera-se obter uma visão global dos efeitos da programação fetal por restrição proteica seguido do consumo de açúcar sobre parâmetros reprodutivos e as vias moleculares alteradas na próstata de animais em idade reprodutiva e as repercussões na incidência de lesões com o envelhecimento. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.