Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da bioatividade, escoamento, pH e liberação de íons cálcio de cimentos reparadores de alta plasticidade

Processo: 17/18413-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Marina Angélica Marciano da Silva
Beneficiário:Thiago Bessa Marconato Antunes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Piracicaba (FOP). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Teste de materiais   Óxido de zinco   Cimento de silicato   Silicato tricálcico   Cimentos dentários   Bioatividade

Resumo

O objetivo do estudo é avaliar as propriedades de bioatividade, escoamento, pH e liberação de íons cálcio de cimentos à base de silicato tricálcio de alta plasticidade presentes no mercado (MTA HP, Biodentine e MTA Flow) e propor o desenvolvimento de um novo cimento de alta fluidez composto por silicato tricálcio, silicato dicálcio, óxido de bismuto, óxido de zinco e, em seu líquido, água destilada e polímero solúvel em água. Para o preparo do cimento experimental serão utilizadas as proporções, em peso, de: 80% de silicato tricálcio e dicálcio, 20% de óxido de bismuto e 5% de óxido de zinco. O líquido será composto, em volume, por 70% de água destilada e 30% de polímero solúvel em água. Todos os cimentos serão manipulados na proporção de 1g de pó para 0,3mL de líquido. Para a análise da bioatividade, amostras de cada material serão imersas em frascos separados contendo 20 mL de HBSS e estocados em estufa a 37oC por 28 dias. As amostras serão analisadas por meio de espetroscopia dispersiva de raio-X (EDX) integrado a microscópio eletrônico de varredura. Os dados da análise em EDX serão utilizados para calcular a proporção de cálcio/fósforo (Ca/P) na superfície dos cimentos. O teste de escoamento será realizado de acordo com a especificação ISO 6876/2012 e por meio de metodologia de análise volumétrica em micro-CT. Para a avaliação do pH e liberação de íons cálcio, serão utilizados 40 dentes de acrílico (n=10) com cavidades de 3 mm de profundidade na porção do ápice radicular. As cavidades serão preenchidas com os materiais, as amostras imersas em frascos individuais contendo 10 mL de água deionizada e estocadas em estufa a 37oC. O pH e a liberação de íons cálcio serão determinados nos períodos de 3, 24 horas e 28 dias. Os resultados serão submetidos ao teste de normalidade de D'Agostino e Pearson para escolha do teste estatístico mais adequado (p < 0,05). (AU)