Busca avançada
Ano de início
Entree

A ação da melatonina no fenótipo e função de neutrófilos em Ratos Wistar com tumor de Walker-256

Processo: 17/15036-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2017
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:José Cipolla Neto
Beneficiário:Wilson Mitsuo Tatagiba Kuwabara
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50457-0 - Melatonina e a regulação do metabolismo energético: estudos básicos, clínicos e epidemiológicos, AP.TEM
Assunto(s):Neurofisiologia   Neoplasias   Inflamação   Melatonina   Neutrófilos

Resumo

Segundo a OMS, o câncer é a segunda causa de morte no mundo, perdendo apenas para doenças cardiovasculares. O desenvolvimento de novas terapias e a descoberta de novas moléculas capazes de combater o câncer são grandes alvos da pesquisa mundial no século XXI. A melatonina está no centro de diversas pesquisas no combate ao câncer e vem sendo desvendada como uma potente molécula oncostática, agindo desde o principio do processo neoplásico até nas fases mais tardias, como a disseminação do tumor por metástase, além de ter também um papel fundamental na regulação do sistema imune. O papel dos leucócitos no combate ao câncer vem ganhando tamanha evidência nas últimas décadas, que o câncer já é considerado uma falha do sistema imune. Muitas quimioterapias promovem a parada do crescimento e morte das células tumorais, mas ao mesmo tempo causam uma queda da imunidade do indivíduo, principalmente a imunidade inata, o que resulta muitas vezes no insucesso da terapia e reincidência do tumor. Nos últimos anos, os neutrófilos passaram a ser vistos, não apenas como uma célula de combate a agentes invasores, mas também, como células apresentadoras de antígenos e reguladoras do microambiente de tumores sólidos. O câncer tem ação imunossupressora sobre neutrófilos, gerando uma mudança de perfil "N1"(Antitumoral) para um perfil "N2" (Pró tumoral), o que aumenta a capacidade do tumor de crescer e se disseminar. Não há estudos na literatura que abordem a ação da melatonina na função e perfil inflamatório dos neutrófilos no câncer. Dessa maneira, esse estudo tem como objetivo avaliar a capacidade imunomodulatória da melatonina, isto é, a capacidade dessa molécula de impedir a mudança do fenótipo inflamatório N1/N2, em neutrófilos de ratos com tumor de Walker-256. Para tanto, ratos pinealectomizados ou não receberão 10 mg/Kg de melatonina via oral, solubilizados na água que irão ingerir no período noturno. Um grupo sem suplementação será utilizado como controle. Metade desses animais serão inoculados com tumor de Walker-256 e outra metade dos grupos serão injetados com salina 0,9% para controle da cirurgia. O perfil metabólico dos grupos experimentais será analisado por ensaios de GTT, ITT, insulinemia e parâmetros séricos (Colesterol Total, LDL, HDL e triglicérides). A ação antitumoral da melatonina, será avaliada pelo tamanho, peso e disseminação do tumor. O papel da melatonina na mudança de fenótipo de neutrófilos será primeiramente avaliado pela expressão gênica (qPCR) de determinados marcadores de superfície. Após a detecção dos genes alterados, a fenotipagem será validada por citometria de fluxo. Por fim, as funções dos neutrófilos serão avaliadas pela produção de citocinas pelo método de ELISA, produção de espécies reativas de oxigênio utilizando-se o luminol como sonda quimioluminescente, capacidade fagocítica, capacidade migratória e morte celular por citometria de fluxo.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Alteração em célula de defesa torna obesos e diabéticos mais suscetíveis a infecções 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TATAGIBA KUWABARA, WILSON MITSUO; ANDRADE-SILVA, JESSICA; BERTAGLIA PEREIRA, JOICE NAIARA; SCIALFA, JULIETA HELENA; CIPOLLA-NETO, JOSE. Neutrophil activation causes tumor regression in Walker 256 tumor-bearing rats. SCIENTIFIC REPORTS, v. 9, NOV 11 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.