Busca avançada
Ano de início
Entree

Implementação da técnica de dosagem passiva em estudos de ecotoxicidade

Processo: 17/07871-8
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 19 de março de 2018
Vigência (Término): 18 de julho de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Gisela de Aragão Umbuzeiro
Beneficiário:José Ricardo Rossetto Martins Zwarg
Supervisor no Exterior: Werner Brack
Instituição-sede: Faculdade de Tecnologia (FT). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Local de pesquisa : Helmholtz Association, Alemanha  
Vinculado à bolsa:15/11399-7 - Miniaturização do ensaio Salmonella/microssoma em microssuspensâo, BP.IC
Assunto(s):Ecossistemas aquáticos   Ecotoxicologia   Sedimentos   Dosagem

Resumo

Uma das principais dificuldades dos testes de ecotoxicidade aquática é definir e controlar a concentração de exposição com um alto grau de confiabilidade, devido às perdas que ocorrem no sistema por sorção, precipitação, volatilização, degradação química e biológica, e absorção pelos organismos. Uma boa solução para estas questões é a técnica chamada dosagem passiva, que envolve a partição de compostos orgânicos hidrofóbicos no meio teste a partir de um reservatório dominante carregado numa fase polimérica biologicamente inerte. O formato mais adequado e flexível para este dispositivo é o O-rings de silicone. Eles são fáceis de introduzir e retirar dos poços e estão disponíveis a preços baixos em grandes quantidades de uma forma altamente padronizada. O objetivo do presente estágio é aprender a técnica de dosagem passiva usando o formato de O-rings de silicone para, posteriormente, implementar essa ferramenta em estudos de ecotoxicidade quando voltar para a UNICAMP. Esta nova ferramenta proporcionará uma nova abordagem de exposição para a realização dos testes de ecotoxicidade do projeto Virtual Effect Directed Analysis para caracterização mutagênica de amostras ambientais relevantes, financiado pela FAPESP (2015/24758-5). Neste projeto, além da análise de mutagenicidade, o nosso grupo detectou toxicidade utilizando o anfípodo de crustáceos Parhyale hawaiensis em sedimentos inteiros, e em extratos orgânicos do sedimento de Santos sob influência da descarga do efluente de esgoto. O projeto proposto faz parte de um trabalho colaborativo, aprovado pela Comissão Europeia - Programa de Trabalho da UE para 2013, intitulado "SOLUÇÕES para poluentes emergentes presentes e futuros na gestão dos recursos terrestres e hídricos". O estágio será desenvolvido sob a supervisão do coordenador do projeto SOLUÇÕES Dr. Werner Brack de Helmholtz - Centro de Pesquisa Ambiental, Leipzig, Alemanha (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.