Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre o aumento da região de heterocromatina do cromossomo 9 e a infertilidade masculina

Processo: 17/10808-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2017
Vigência (Término): 31 de outubro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Rita Luiza Peruquetti
Beneficiário:Amanda Gonçalves Martins da Costa
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Universidade do Sagrado Coração (USC). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Heterocromatina   Espermatogênese   Fertilidade   Infertilidade masculina   Expressão gênica

Resumo

A infertilidade é definida quando o casal sexualmente ativo não alcança uma gravidez espontânea após um ano de exposição ao coito desprotegido e suas causas podem ter origem feminina, masculina ou, também, de ambos os componentes do casal. A crescente busca de assistência médica para a identificação e correção de problemas de fertilidade, muitos casais são submetidos ao exame citogenético para a avaliação de alterações cromossômicas. No que diz respeito à investigação de infertilidade masculina, muitos homens têm sido frequentemente diagnosticados com um aumento da região de heterocromatina no cromossomo 9, mas essa evidência ainda não foi investigada para esclarecer se esse aumento de heterocromatina, bem como outras alterações morfológicas do cromossomo 9, é um fator determinante na infertilidade masculina diagnosticada. A formação da heterocromatina é extremamente regulada por eventos epigenéticos, que por sua vez podem ser influenciados pelos agentes químicos, físicos e biológicos aos quais o organismo é exposto no decorrer de sua vida. Portanto, o objetivo do presente trabalho será relacionar os hábitos de vida da população masculina, o aumento de regiões heterocromáticas no cromossomo 9 e os perfis de expressão gênica de alguns genes relacionados com a determinação sexual, tanto das regiões heterocromáticas como não heterocromáticas, do cromossomo 9 em indivíduos que apresentem ou não distúrbios na produção espermática diária (indivíduos oligozoospermicos). A identificação da qualidade espermática será realizada pela técnica de espermograma. A caracterização do aumento da região de heterocromatina do cromossomo 9 será realizada por meio de análise de cariótipo obtido a partir de cultura de leucócitos. A análise da expressão dos genes de interesse ((a) Aep1; (b) Vcp; (c) Dmrt1; (d) Hsd17b3; (e) Nr5a1) será realizada por RT-PCR. E a identificação da formação do acrossomo será identificada por meio de imunomarcação fluorescente da proteína VCP e, também, pela técnica citoquímica clássica de PAS. (AU)