Busca avançada
Ano de início
Entree

Aplicação de materiais biodegradáveis para regeneração cardíaca pós-infarto do miocárdio: efeito de dispositivos acelulares no remodelamento e função ventricular

Processo: 17/01508-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 16 de agosto de 2017
Vigência (Término): 15 de agosto de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Lindemberg da Mota Silveira Filho
Beneficiário:Lindemberg da Mota Silveira Filho
Anfitrião: William Richard Wagner
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Pittsburgh (Pitt), Estados Unidos  
Assunto(s):Coração   Infarto do miocárdio   Hidrogéis   Procedimentos cirúrgicos cardíacos   Isquemia miocárdica

Resumo

A Miocardiopatia dilatada de etiologia isquêmica ou não isquêmica permanece uma grave condição letal atualmente. Apesar da ampla aplicação da revascularização cardíaca percutânea precoce para o infarto do miocárdio, muitos pacientes desenvolvem miocardiopatia e insuficiência cardíaca devido ao remodelamento. Muitos estudos tem utilizado materiais biodegradáveis no coração como "scaffolds" para tentar regenerar o miocárdio ou induzir um remodelamento mais favorável. Muitas dúvidas subsistem sobre a melhor forma, o melhor momento da aplicação dos materiais e o efeito destes, em corações que sofreram lesão cardíaca cronicamente. Objetiva-se nesse estudo verificar se a aplicação dos "scaffolds" biodegradáveis em modelo animal crônico de infarto do miocárdio traz benefícios no desempenho ventricular esquerdo, na redução da área de fibrose e no remodelamento. Serão utilizados ratos submetidos a infarto do miocárdio. Após 4 semanas, serão submetidos a aplicação de hidrogel biodegradável injetado na área infartada, ou aplicado como "patch" ou controle. Após 6 semanas serão submetidos a ecocardiografia e sacrificados. Será mensurada área de fibrose e espessura ventricular. Amostras do ventrículo permitirão análise de marcadores inflamatórios como TNF e interleucinas. Espera-se que os animais que receberem os scaffolds biodegradáveis apresentem melhores parâmetros ecocardiográficos, menos fibrose e melhor remodelamento ventricular que o controle. Diferenças de resultados entre as formas de aplicação do material poderão ser encontradas. TNF e interleucinas devem variar entre os grupos tratados e o controle. Caso esses resultados sejam confirmados, reforçarão a possibilidade de aplicação cirúrgica desses biomateriais em cenários clínicos semelhantes. (AU)